Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

O culto ao deus tempo, ou atitudes mudam o mundo.



Por Giliardi Rodrigues

Todos sabem que o mundo carece de educação, de respeito, de solidariedade, de amizade, de carinho, de gentileza, de fraternidade, especialmente de justiça e amor. Fim de ano é tempo de festa, de comemorações, de confraternizações, de rezas, de mandingas, simpatias, desejos, meditações, cultos a entidades, orgias, glutonarias e muita bebedice.

Ano após ano pessoas lançam seus destinos ao tempo, fazendo dele um “senhor”, todos esperam e desejam que o ano subsequente seja melhor do que o ano passado, as pessoas fazem promessas, desejos e esperam que estes sejam pelo o destino ou pelo acaso de alguma maneira realizados.

Desde sempre o mundo nunca mudou por si próprio, o tempo em si jamais modificou e nem aperfeiçoou as relações humanas com genuína sinceridade e verdade. Sem contar, que fora todo este “oba oba” de celebrações de fim de ano os problemas das pessoas e do mundo estão longe de serem resolvidos simplesmente por rituais de simpatias místicas.

Embora o tempo seja relativo a cada cultura, ele é essencialmente neutro. Ou seja, ele não é bom e também não é ruim. O tempo é um instrumento ou uma ferramenta que não trabalha sozinha, ele sempre depende de alguém que executa em favor do realizar. As coisas acontecem através de atitudes, de ações e de trabalho.

O tempo não é um senhor que privilegia este ou aquele com sorte ou azar, o tempo não é um deus pelo qual as pessoas possam fazer culto esperando algo de bom em troca, o tempo não faz e não traz qualquer coisa alguma.

A lógica é a seguinte:

Se o tempo não muda nada, não podemos perder tanto tempo com misticismos e rituais. Sim, podemos usar o tempo a nosso favor. Como? Trabalhando, estudando, buscando sabedoria, qualidade de vida, respeitando o próximo, amando, cultivando amizades, praticando justiça, generosidade e paz – não somente um dia do ano, mas todos os dias.

Somente assim poderemos viver em um mundo melhor sem depender da sorte, do acaso, do destino e do tempo.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Afinal, o que se comemora no natal?


Por Giliardi Rodrigues


O nascimento de um deus?
Ou a celebração do capitalismo desordenado alimentado pela o marketing da
propaganda ambiciosa alheia?
Talvez a festa da confraternização de pessoas alimentadas por um porco com uma maçã na boca e um peru assado morto de forma cruel por homens obsecados pelo o dinheiro explorado pela a cegueira e a ignorância do seu próximo?
Quem sabe um culto subliminar a Ninrode, Semíramis e Tamuz?
Mais ainda, a celebração de Natalis Invicti Solis (nascimento do vitorioso deus sol) na religião Mitra?




Odeio o natal...

Por sua tanta beleza composta abstrata,
Pelas suas luzes sem brilho,
Pelos seus sorrisos carregados de hipocrisia e demagogia,
Pela a sua religiosidade cheia de ritos vazios e sem definição,
Pela a sua historia obscura e sua mentira idolatra mórbida,
Pelo seu sentido pleno de uma historia macabra escrita por homens sem coração,
Pelo o seu significado sem significado,
Pelas suas musiquetas chatas de fim de ano pagão,
Pelos os presentes de “amigos ocultos” aguados pelo o fingimento,
Pela a bebedice e glutonaria desenfreada,
Pelas as crianças que são enganadas por um papai Noel que nem existe,
Pelos seus fogos estourados no céu contaminado pela a poluição humana,
Sim, odeio o natal por toda falsidade que te cerca e te permeia.

  



quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

2012 - Será o fim do mundo?


Por Giliardi Rodrigues


O fim do mundo é um assunto que intriga e interessa a muitas pessoas, periodicamente surgem profecias e especulações a respeito do tema. Por séculos, o homem vem tentando prever e desvendar uma data precisa para o “Fim do Mundo”. Tanto a religião, quanto a ciência vem estudando o assunto para encontrar respostas concretas que circunde a verdade a respeito da questão.

Por centenas de vezes muitas previsões falharam, podemos lembrar que todas as vezes que o cometa Halley passava se acreditava que o mundo estava por acabar. Em 1999 por conta do final do segundo milênio, muitas pessoas acharam realmente que o mundo estava perto do fim, se pregoou até uma frase dizendo que de mil passarás, mas a dois mil não chegarás.

A expectativa do fim foi grande, mas o mundo ainda não acabou!

Afinal, o que acontecerá em 2012?

O calendário Maia está em pauta para analise a muitas ideias catastróficas. Dizem que ele é preciso e ao mesmo tempo muito complexo. O calendário descreve muitos ciclos. Por exemplo, no dia 21 de dezembro de 2012 encerrará um grande ciclo de 1.870.000 dias, que equivale aproximadamente 5125 anos. O nosso calendário gregoriano também é marcado por ciclos de dias, semanas, meses, anos, décadas, séculos e milênios. O que incide no fim de um ciclo é o inicio de outro ciclo subsequente (Obvio).

Dizem que o sol tem um ciclo de 11 anos em sua atividade magnética, que devido o vento solar a polaridade magnética dos polos podem se inverter fazendo que manchas apareçam e desapareçam dentro deste período, ou seja, isso sempre aconteceu e acontece desde que o sol existe.

Há uma teoria sobre o alinhamento do sol no centro galáctico que ocorrerá no final de 2012 e que isso desencadearia catástrofes como terremotos e maremotos. Geometricamente o centro da galáxia é definido por um ponto no espaço, da mesma forma a cavidade onde reside o planeta a terra. É evidente perceber que estes dois pontos sempre estarão alinhados, ou seja, podemos lembrar que a cada solistico de verão que se inicia no dia 21 ou 22 de dezembro no hemisfério sul, o sol visto da terra sempre estará alinhado com o centro galáctico. E nada acontece (Geometria elementar).

Também, muito se especula sobre a possibilidade de um suposto meteoro ou objeto espacial se chocar com o planeta Terra. Se realmente existisse um grande objeto se aproximando da terra para uma colisão ao ponto de acabar com o mundo já em 2012 já teria sido detectado por telescópios profissionais e quem sabe até visível a olho nu.  Assim, como nada disso ainda é comprovado fica no ar esta suposição emaranhada de fantasias escatológicas e fatos reais.

Agora...

Felizmente ou infelizmente, até o momento não é confirmado nenhuma probabilidade do mundo acabar em 2012 por algum evento destes aqui citados.

sábado, 3 de dezembro de 2011

A beleza do Shabath


Por Giliardi Rodrigues



O shabath é uma dádiva da graça divina,
É sombra da plenitude da eternidade.
Shabath é uma marca da liberdade,
É um grito contra a escravidão e a opressão do trabalho.
Shabath é paz, liberdade, saúde, prosperidade e sabedoria.
Shabath é um memorial dos dias no paraíso
E um tapa na cara da avareza e da ambição.
Não, não é obrigação.
A guarda do shabath é um louvor expresso em ação,
Shabath é um linda mistizvah,
É um ato de amor e gratidão ao Eterno Criador.
Há um shabath kadosh reservado para os filhos do Eterno
Para celebrar as bodas do cordeiro
                                  nos dias do reino do Filho de Davi (Mashiach).
Então,
Todos os povos de todas as nações
que tiveram seus olhos ofuscados pelo o pecado.
poderão desfrutar e contemplar a beleza de celebrar o shabath.
Shabath é uma celebração da salvação,
Da libertação do Egito, da babilônia e da escravidão do mundo dominado pelo o mal.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Teshuvá - O caminho de volta, ou Constantino, Lutero, Maomé e seus sucessores.



Por Giliardi Rodrigues

Estava ali, bem ali o tempo todo...

Será que ninguém vê ou ninguém nunca percebeu a imagem sombria que se esconde por traz das aparências? Por séculos uma mentira contada muitas vezes acabou tomando uma roupagem de verdade!



Refiro-me a religião de Constantino que de alguma forma rompeu as barreiras do tempo e espalhou todo o paganismo podre herdado da babilônia para contaminar a fé ingênua de muitas pessoas. Nem mesmo Lutero e seus sucessivos reformadores conseguiram expungir as tatuagens de Ninrode. Quem sabe o grande erro dos reformadores foi tentar reparar algo que deveria ser demolido e abolido para sempre.



Antes, Maomé também havia tentado. Mas, falhou e não conseguiu! Foi influenciado pela a mesma mentira sofista que enganou a todos que tentaram inventar ou reinventar uma nova religião.  


Verdade seja dita, doa a quem doer...

A religião em si é uma falácia, pois em vez de religar o homem a sua essência, se tornou a causa depois do pecado de Adão a desgraça de toda a humanidade. Se existe uma maldição hereditária, com certeza a pior não é a “Teoria do pecado original”. Todavia a casta de religiosidade hipócrita e desumana que nada tem haver com espiritualidade e o Reino Eterno.

A historia desde os tempos mais remotos da humanidade parece se repetir, muda-se o cenário e os personagens, mas o roteiro é o mesmo. Toda vez que o mundo parece perdido e jaz entregue ao domínio do maligno, há sempre um êxodo ou um caminho de volta a terra prometida (Teshuvá) para o filhos do Eterno. O Senhor jamais abandonou seus filhos e nunca ocultou a verdade daqueles que o buscam de mãos limpas e coração puro. Os filhos do Eterno estão neste mundo. Mas, não são deste mundo. Pois o mundo inteiro não é digno e nem merecedor dos herdeiros do Reino Eterno.

Um dia na eternidade ou nos dias do Rei Messias toda mentira, hipocrisia, religiosidade deixará de existir. Ninguém nunca mais se lembrará de Babel e Ninrode. Jamais haverá alguma coisa que se remeta ao Egito, a babilônia, a religião de Constantino ou a de Maomé. Tudo será pleno e perfeito, não mais haverá filosofias e ciência de homens, tão pouco teologias, mitologias e idolatrias. O povo santo e escolhido que foi salvo e todos os justos que tiveram as suas vestes limpas pelo o sangue do cordeiro caminharão em paz na nova Jerusalém.





segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Quem é o Messias, ou quem somente pode perdoar pecados?



E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Yeshua; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. (Mateus 1:21).

A primeira promessa do Senhor após a queda do homem é que da semente gerada através da mulher nasceria o homem que pisaria na cabeça da serpente e traria salvação de todas as iniquidades à humanidade. Os reis, os profetas e os sacerdotes em todo tempo da historia testificaram e anunciaram essa verdade. 

Por um só homem o pecado entrou no mundo e pelo o pecado a morte, assim também, todos pecaram e destituídos estão da gloria do Senhor. Da mesma forma que a iniquidade reinou fazendo muitos pecadores dignos de morte, pois o salário do pecado é a morte. Pela a obediência plena de um só homem muitos serão feitos justos e dignos da vida eterna. Assim diz as escrituras: O primeiro homem foi feito em alma vivente; o ultimo em espírito vivificante.

Diz o Zohar (Livro do Esplendor) testificando as palavras do profeta Isaias que se o Messias não tivesse tomado sobre si todos os castigos merecidos por Israel, ninguém seria capaz de suportar os sofrimentos do mundo. Mas o Messias suporta todos os sofrimentos da humanidade.

Mas, como pode o Messias trazer salvação, se as escrituras dizem que somente o Senhor Eterno é capaz de salvar o homem de seus pecados?

Sim, é verdade! Somente o Eterno é que tem poder para salvar o seu povo. Podemos observar nas escrituras que em todo tempo ele mesmo escolheu e capacitou pessoas para que seus propósitos fossem cumpridos. Um grande exemplo é Moises que apesar de não ser um homem perfeito e ser cheio de limitações foi chamado e capacitado para salvar o povo do Senhor do Egito.

Quem salvou Israel do Egito? Quem abriu o mar vermelho e libertou o povo? Foi o Senhor Eterno ou foi Moises?

É obvio que Senhor realizou todas as coisas através do profeta Moises.

Será que é tão difícil entender que somente o Senhor é capaz de salvar o homem e a humanidade? Será que ele não pode usar que ele quer na hora que ele quer para promover os seus feitos? Sim, ele sozinho criou todas as coisas. Mas, a partir do momento dele ter feito e criado o homem ele usou o homem como instrumento para realizar muitos dos seus feitos.

O nome do Messias Yeshua significa o “Eterno Salva”. O Messias foi escolhido pelo o Eterno para trazer salvação a todo aquele que nele crer e obedece a seus mandamentos. O Messias em si é apenas um homem comum, ele mesmo disse que o filho não tem nenhum poder se não for dado pelo o Pai. A bíblia diz que o Messias aprendeu o caminho da obediência através do sofrimento e mesmo não tendo pecado nenhum assumiu em si todas as culpas da humanidade fazendo-se um pecador. Ele entregou a sua própria vida para salvar todos aqueles que estavam mortos em seus próprios pecados.

Ele foi o servo sofredor que não tinha parecer nem formosura: e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos.

Era desprezado, e o mais indigno entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos: e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.

Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si: e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.

Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades: o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho: mas o Senhor fez cair sobre ele à iniquidade de nós todos.

Ele foi oprimido, mas não abriu a sua boca: como um cordeiro foi levado ao matadouro, e, como a ovelha muda, perante os seus tosquiadores, ele não abriu a sua boca.

Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes: pela transgressão do meu povo foi ele atingido.

E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; porquanto nunca fez injustiça, nem houve engano na sua boca.

Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão.

O trabalho da sua alma ele verá, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos: porque as iniquidades deles levará sobre si.

Pelo que, lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercede.

sábado, 29 de outubro de 2011

Enredos de mentira, ou Idolatria sórdida.




Sórdida atemporal
Cujos olhos não podem ver,
Idolatria dominical
Engana sem perceber.
Adoradores da trindade
Creem que não tem nada haver.
Amantes natalinos do sol
Cheios de deuses a ter.
Filhos espirituais de Ninrode
Proclamam sua mentira sem compreender.
Jazem no que não pode
Com a verdade a distorcer.
Criam enredos de teologias
Com teorias mentirosas a discorrer.
Oradores de alegorias
Com sofismas a fornecer.
Mas, um dia com certeza
Toda essa realeza irá se desfazer.
Eis que vem o Mashiach
Para o Reino Eterno estabelecer.
Quem tem ouvidos ouça: - Seja agora,
Antes que ser tarde para se arrepender.

sábado, 22 de outubro de 2011

Como posso compensar o amor que me constrange?


Por Giliardi Rodrigues



Se sem motivos me amas,
Confesso que careço,
Embora não mereça tanto amor.
Que razão faz amar um ser imperfeito e cheio de erros?
A verdade é que ninguém jamais conseguiu entender
E mensurar o que é “Graça ágape”.
Um amor que conduz um pecador ao arrependimento?
Um amor tão sublime...
Ao ponto de doar a própria vida para salvar a humanidade?
Isso é muito forte: Se o maior ensino é o exemplo, prontamente provaste essa verdade com integridade vivendo uma vida pura e sem hipocrisias.
“Amar somente que nos ama é muito fácil, maior mérito está em amar até nossos inimigos”.

Quero tanto aprender amar, a perdoar e acima de tudo pedir perdão,
Quero tanto humildade para reconhecer quem eu sou
Para ser aquilo que desejas que eu seja.
Se nasci para servir,
Logo quero ser conduzido aos caminhos do Reino para uma vida de adoração.
A minha oração é que perdoe meus pecados e minhas iniquidades,
Preciso tanto enterrar meu passado para viver a eternidade ao teu lado.
Ensina-me a andar pelas veredas da justiça por amor ao teu nome,
Tu és minha rocha, minha fortaleza e meu baluarte.
Proteja-me com teus braços fortes
E acolha-me aos teus aposentos.


sábado, 1 de outubro de 2011

O Caminho da salvação.
















O espírito que apraz no Senhor
Encontra paz, deleite e refrigério.
Não há nada mais maravilhoso
Do que viver a experiência
De estar na presença do Criador.

A luz que dissipa as trevas
Mana do trono Eterno
Para produzir plenitude
E trazer salvação
Aos pecadores arrependidos.

A justiça é como espada
Nas mãos dos justos.
A palavra é como uma lâmpada
No caminho dos que esperam
E se regozijam com a salvação.

A fé é um instrumento fundamental
Para os que confiam no Senhor
E buscam agradá-lo
Através da obediência
Aos teus mandamentos.

Os filhos do Senhor
Aguardam pelo o desejado
Das nações e Messias de Israel
Que virá para reinar desde Sião
Por toda eternidade.

domingo, 18 de setembro de 2011

A teoría do Canópio.


Por Giliardi Rodrigues.


E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão. E assim foi. E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã o dia segundo. (Gênesis 1:6-8)





D'us chamou a expansão céus e havia águas que estavam em baixo dos céus e águas acima dos céus (em hebraico quer dizer shamay ou águas de cima). Estas águas que estavam acima dos céus não são nuvens, pois até o tempo de Noé ainda não havia chovido sobre a terra.

Um vapor, porém, subia da terra e regava toda a face da terra. (Gênesis 2:6).

A bíblia diz que havia uma grande camada de água que ficava acima da atmosfera terrestre. Esse grande invólucro de água podemos chamar de canópio.

O canópio funcionava como uma grande bolha formada de água envolvendo todo o planeta Terra. A atmosfera era protegida por essa camada superior de água, as estações praticamente não existiam, pois não tinha variações climáticas e nem de temperaturas, também não caia sobre a terra neve e nem chuva, o clima era o mesmo em todo planeta.

A luz do sol era refletida nesta camada de água de modo que a claridade caminhava e era refratada por este espelho de água. Não havia noite praticamente, pois o canópio funcionava como um espelho conservando a luz e o calor do sol, e levando de um lado ao outro do planeta.

Outra alteração que ocorria é que a pressão atmosférica era muita maior do que é hoje, os seres vivos tinha um desenvolvimento celular ampliado e acelerado, os homens tinham maior estatura e longevidade (existiram homens que viveram quase mil anos, como Adão, Seth, Enos, Cainan, Maalalel, Jared, Lameque Matusalém, Enoque. Gênesis 5:1-32)

A pressão atmosférica era muito grande de modo que favorecia o desenvolvimento acelerado das células. Imagine uma panela de pressão cozinhando feijão, o que acontece? O feijão dentro da panela cresce quando aquecido, o mesmo acorria com os homens, com os animais e vegetais.

A bíblia diz que D'us fez o homem para ser eterno, ou seja, para nunca morrer. A morte passou a ser conhecida depois que o homem pecou. Primeiro veio à morte espiritual e em seguida a morte física decorrente do pecado do homem.

Naquele tempo tinha muitos gigantes sobre a terra (Gênesis 6:4). Somente depois do dilúvio e do rompimento do canópio que D'us limita o homem viver no Maximo 120 anos. Se o homem continuasse a viver tanto tempo o mundo seria destruído pela a maldade do homem.

Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele, também, é carne: porém os seus dias serão cento e vinte anos. (Gênesis 6:3)

E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos do seu coração era só má continuamente. (Gênesis 6:5)

Toda a criação sofreu conseqüências do pecado do homem, a terra se encheu de "Hamás" e ficou contaminada pelo o pecado. Hamás é tudo que é contrario a lei de D'us (violência, homicídio, idolatria, sexo ilícito com adultério, prostituição, pedofilia, zoofilia, masturbação...) – Existe um grupo fundamentalista islâmico que se denomina hamás, creio que isso seja justamente para aterrorizar os judeus e todas as pessoas que crêem em D'us, pois os membros deste grupo praticam tudo tipo de genocídio, perversidade e terrorismo.

O dilúvio foi uma maneira pela qual D'us preserva a raça humana através de Noé e seus descendentes. A terra ficou contaminada pelo o Hamás e D'us limpou a terra com o dilúvio. Todos os povos da terra tiveram origem nos filhos de Noé que foram preservados no dilúvio (shem, Cam, Jafé).

O canópio funcionava como uma estufa para o planeta, neste tempo existia muito mais terra do que água, por isso o nosso planeta foi chamado de planeta Terra e não planeta Água.

A vegetação era muita mais extensa e rica em termos de proteínas, de modo que todos os seres humanos podiam viver somente de vegetais e das frutas, o homem não se alimentava de carne e também não existiam animais carnívoros. Os seres humanos somente passaram a se alimentar de animais depois do dilúvio. (Gn 9:1-19)

Quando a bíblia diz que houve um dilúvio, não foram 40 dias de chuva que inundaram todo o planeta, foi o rompimento das águas de baixo da terra, ou seja, os oceanos subterrâneos e as águas de cima dos céus (canópio) que se romperam e inundarão o nosso planeta.

Para se ter idéia o pico do Everest que tem aproximadamente 8.844 metros de altitude, jamais poderia ser coberto de água com apenas 40 dias de chuva forte.

Alguns cientistas que conhecem essa teoria, afirmam que o betume que vedava a arca funcionava como uma camada de descompressão e uma câmara barométrica. O que matou os homens que estava fora da arca não foi uma chuva de 40 dias, foi à queda d'água e o rompimento das camadas interiores da terra. Noé ficou isolado na arca, depois do dilúvio à medida que ele abria a janela ele equilibrava a pressão da arca com a pressão do planeta.

A escritura diz que as janelas dos céus se abriram e todo o planeta foi inundado, apenas Noé, sua família, um casal de cada animal e setes casais de animais puros foram preservados no dilúvio.

Até mesmo nos dias de hoje podemos encontrar rastros do dilúvio, o que justificaria as águas dos oceanos serem salgadas e as águas dos pólos serem águas doces? Grande parte das águas do canópio está congelada nos pólos, pois se não fosse assim o planeta estaria inundado até hoje.

O que justificaria as partes mais baixas do planeta ser tão ricas de petróleo? Os sábios dizem que o mar morto funcionou como um ralo do planeta, as águas que escoaram para as partes baixas levaram consigo animais mortos e corpos de humanos, todo tipo vegetais e ao longo de milhares de anos formando essa camada de petróleo.

O mar morto fica exatamente no centro do planeta, imagine você abrindo a torneira de um lavatório e água se ecoando e fazendo um redemoinho? Foi exatamente isso que aconteceu com grande parte da água do dilúvio.

Outra coisa que não poderia deixar de relatar é que antes do dilúvio toda a porção de terra do planeta era apenas um continente. E foi o rompimento dos mares debaixo da terra que formaram os continentes que conhecemos hoje. Muitos chamam esse fenômeno de pajeia. (Gn 10:25).

A bíblia começou a ser escrita a mais de 5000 anos atrás e os pontos relatados sobre o dilúvio existem até hoje. O monte onde a arca de Noé repousou é o monte Ararate na Turquia. O lugar onde Noé estava quando começou a construir a arca é a antiga mesopotâmia que hoje conhecemos por Iraque.

Oração Lhana.




Não quero mais fazer uma oração egoísta e corriqueira,
Antes, anseio acender minha alma
E rasgar meu coração com sinceridade diante do Senhor Criador de todas as coisas.
Enfastiei de religião, de teologias e filosofias de homens.
Cansei de mentiras, hipocrisias e demagogias.
Pretendo agora dedicar minha vida ao trabalho e as virtudes do Reino Eterno.
Já não oro de olhos fechados, mas de olhos abertos...
Desejo a todo tempo contemplar as maravilhas que o Senhor têm para seus filhos.
Busco viver pela fé e em obediência aos mandamentos que são santos, justos e bons.
Como não sou perfeito e estou muito distante de ser,
Peço perdão pelos os meus pecados e pelas minhas iniquidades.
Que o Senhor me guie no caminho do teu Espírito.
Oro ao Senhor por entendimento, saúde, paz e sabedoria.
O Senhor é o meu pastor, nada me faltará e nem me sobrará.
Prosperidade é o suficiente...
“Nada de mais de maneira que sobre, nada de menos da maneira que falte”.
Peço o Senhor que me ensine a ser mais humilde, manso e paciente.
Quero aprender a amar como o Senhor me ama e a praticar cada vez mais o perdão.
Sei que não sou merecedor de nada,
Mas o Senhor é bom, justo e benevolente.
Por isso, a sua graça é uma constância realidade na minha vida.
Agradeço por tudo que o Senhor tem feito e fará em favor dos teus filhos
E principalmente por tudo que o Senhor “É”.
Que todo aquele que invocar o nome Santo do Senhor alcançará salvação,
Desde Sião até os confins da terra.

No Messias Yeshua...
Amém, amém e amem!!!

sábado, 3 de setembro de 2011

O Gênese da criação ou Bereshit.




“O corpo que reveste meu espírito faz de mim alma vivente”.
Isso não é teologia, isso é vida.
Desde o dia que o criador disse: - “Haja”
Tudo do nada veio à existência e até hoje do nada deixou de existir.
Tudo, exatamente tudo do micro ao macro foi planejado, criado e formado.
O Eterno criou e constituiu todas as coisas visíveis e invisíveis.
Tudo ele fez...
Os anjos, os arcanjos, os querubins e os serafins.
O bem, o mal, a luz e as trevas.
As galáxias, os planetas, os cometas; todos os astros.
Os céus, a terra, os mares e toda a natureza.
As plantas e os animais,
Os microrganismos, os vírus, os fungos, as moléculas...
Todos os seres viventes e toda matéria,
Toda sabedoria, toda ciência, toda poesia, toda arte, toda musica...
Tudo, exatamente tudo foi feito e nada veio a existir por obra do acaso.
Tudo foi feito por ele, para ele e através dele.
Ele é o Rei Soberano Criador e Formador de todas as coisas.
Tudo ele fez por amor, por graça, por justiça e benevolência.
Tudo feito com equilíbrio, em plena e repleta harmonia.
O Eterno criou a arvore da vida e a arvore do conhecimento do bem e do mal.
Ele criou as trevas e estendeu a luz sobre ela.
Toda honra, toda gloria, todo louvor, toda adoração seja dada ao Senhor Criador de todas as coisas.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Que vantagem têm os justos sobre os injustos?


Por Giliardi Rodrigues


Para uma resposta rápida sem muita análise – Nenhuma.

O sol nasce para justos e injustos, se o justo trabalha é dignificado por ele e o injusto da mesma forma. Se o justo planta é certo que colherá os frutos do seu esforço e o injusto da mesma forma. Existem justos ricos e injustos ricos, existem justos pobres e injustos pobres, o justo precisa de água e de comida, o injusto também. O justo fica doente e o injusto também. O justo pode ter família, empresas e ser bem sucedido e o injusto do mesmo modo.

Fato que neste mundo tudo é passageiro. As glórias são transitórias da mesma forma que os fracassos. A alegria é temporária igualmente com a tristeza. Tudo passa, tudo acaba. Nada, exatamente nada é permanente.

O certo é que ninguém poderia dizer que é alguma coisa, pois quando achamos que somos, estamos à beira de descobrir que não somos nada. Por exemplo, uma pessoa não poderia dizer que é dona deste carro, mas está dona deste carro. Pois um dia ela vai morrer, o carro vai acabar ou por qualquer outro motivo ela pode deixar de ser dona do carro. Logo, o fato de “Ser” também é transitório e passageiro. Prudente é pensar que sem nada vimos para este mundo e sem nada iremos partir deste mundo. Ninguém poderá levar roupas, carros, dinheiro, status, poder, filhos ou qualquer outra coisa quando a morte chegar.

Ora, se tudo neste mundo é passageiro, tudo aquilo que o justo construir e o injusto construir vão acabar. O injusto respira o mesmo ar que o justo respira. Que vantagem há em ser justo ou injusto?

Por incrível que pareça, o mundo em que vivemos é injusto. Uma pequena minoria leva grandes vantagens sobre a imensa maioria. Existem mais pessoas pobres do que pessoas ricas, mais pessoas que sofrem por algum tipo de doença do que pessoas totalmente sãs. Enquanto uma pequena parte da sociedade vive uma vida cheia de regalias, existem muito mais pessoas tentando sobreviver às dificuldades da vida e circunstancias da realidade.

Aceitando ou não, o mundo está contaminado pelo o mal da injustiça, marcado pelo o desequilíbrio humano. Os injustos levam muito mais vantagens sobre os justos. O pior é que o pouco de justos que há é corrompido pelo o mal da injustiça.

Se a nossa vida se resume somente a este mundo, pobres e miseráveis humanos que somos. Esperança e fé para muitos é utopia, mas com toda a certeza este mundo não é digno dos justos, há de ter um lugar resevado para os que têm fome e sede de justiça, há de ter uma terra onde à paz e a justiça se abraçam e andam de mãos dadas. Sim, os justos não buscam levar vantagens neste mundo, porque eles não pertencem a este mundo e as coisas deste mundo não pertencem a eles.

Por este motivo, as boas novas do Reino Eterno e vindouro alimentam a esperança dos justos. Não há dinheiro, ouro ou poder que possa ser negociado com a certeza de viver uma vida integra respaldada com a verdade e com a justiça.

sábado, 6 de agosto de 2011

O Mistério do Sete.


Em sete dias o mundo foi criado
Para durar sete mil anos.
Sete são os dias da semana
Sete representa perfeição.
Existem sete céus para sete submundos,
A terra foi dividida em sete continentes
E os povos com 70 idiomas diferentes,
O Messias reinará sobre a terra
No sétimo milênio,
O arco-íris tem sete cores,
Sete são as notas musicais,
Cada fase da lua dura sete dias,
No apocalipse são sete juízos
Com sete castiçais e sete candeeiros
Com o relato para sete igrejas.
Existem sete mares,
Sete maravilhas do mundo,
Sete pecados capitais,
Noé colocou na arca sete casais
De cada animal puro,
O sol emite sete tipos de raios,
Sete vezes cai o justo
E em todas ele se levanta,
Sete camadas tem a atmosfera da terra,
Deve-se perdoar setenta vezes sete,
São sete os algarismos romanos: I, V, X, L, C, D e M.
Com essas sete letras é possível escrever qualquer número
O átomo é composto por sete camadas,
Sete são os dons do Espírito Santo,
Sete representa a eternidade.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

"BARUCH ATÁ ADONAI ELOHEINU MELECH HAOLAM”.


Bendito seja o nome do Senhor Criador dos céus e da terra por toda Eternidade! Fiel é a tua palavra e justo teus mandamentos.

Agradeço de espírito e de coração toda a dádiva da graça que está sobre mim, por ter me resgatado do império das trevas para o Reino da Luz. Louvo por ter perdoado meus pecados e me limpado da imundícia da iniquidade. Adoro o Criador por tudo que ele fez, por tudo que ele faz, por tudo que ele há de fazer e acima de tudo, por tudo que ele “É”.

O Senhor é a minha paz e a minha fortaleza, o teu espírito me conduz pelas as veredas da verdade. Não há outro que possa ser comparado ao Eterno de Israel, pois ele é incomparável e inigualável.

Dia pós dia a benevolência do Senhor tem se renovado na vida daqueles que o buscam e o amam de mãos limpas e com o coração puro. Os anjos do Senhor acampam ao redor dos justos e os protegem de todo ataque do mal. O Eterno é bom e a sua bondade dura para sempre.

Grato sou por tudo, pois embora não merecedores o Senhor nos ama. Prazer tenho na lei do Senhor, os teus mandamentos desejo guardar dentro do meu coração para não mais pecar. Que o Espírito Santo possa nos instruir e nos conduzir nos caminhos de justiça e retidão.

Aqueles que buscam a face do Senhor serão renovados e restaurados para ser luz diante das trevas e homens segundo o propósito do coração do Eterno Criador de todas as coisas.

Que a vinda do Messias seja logo, pois os salvos anseiam pela a gloria que há de se manifestar em toda a terra. O povo que andava disperso, espera pela a grande reunião dos santos diante do trono Eterno.

 "BARUCH ATÁ ADONAI ELOHEINU MELECH HAOLAM”.
Amém!!!


sábado, 2 de julho de 2011

ESPIRITUALIDADE SEM RELIGIOSIDADE, ou A ESPERANÇA DOS JUSTOS.

Por Giliardi Rodrigues

A esperança que repousa sobre a palavra dos profetas alimenta a fé no coração dos que buscam caminhar nos propósitos do Criador. Não há nada melhor do que ser servo do Reino da luz, não existe nada que pode ser comparado com a liberdade dos que foram chamados, justificados e separados para ser sal da terra e luz do mundo.

De certo que os caminhos dos justos parecem loucura neste mundo perdido e contaminado pelo o pecado. Mas nada, exatamente nada pode impedir os humildes de espírito herdar o mundo vindouro, os mansos se deleitarão na nova terra, os que choram serão consolados, os misericordiosos alcançarão plenitude de misericórdia, a paz repousará sobre a cabeça dos pacificadores e os que foram injustiçados serão recompensados cada um com seu galardão.

Tudo que se pode ver é perecível, tudo o que se pode tocar um dia deixará de existir. Por este motivo, nem olhos viram, nem ouvidos ouviram e nem penetrou em nenhum coração o que o Senhor Eterno tem reservado para os que amam. A eternidade é uma realidade na vida dos salvos, pois a fé não é medida por circunstâncias e não se firma naquilo que é imagem aparente.

Pela humildade e pela simplicidade se podem perceber e conhecer os propósitos da vida. A espiritualidade é desenvolvida através de atitudes e não meramente por conceitos teológicos ou por uma vida regrada a religiosidade. Embora se associe espiritualidade à religiosidade, uma coisa não está diretamente ligada à outra. Pois, uma pessoa pode ser religiosa sem necessariamente ser espiritual, como do contrário, desenvolver uma espiritualidade sem ser devoto ou praticante de alguma religião.

A bíblia ilustra muitos casos de pessoas que tiveram uma vida altamente espiritual sem ser praticante de nenhuma religião. A começar de Abraão, o grande Pai da fé que rompeu todos os conceitos do seu tempo a respeito de religião. Enquanto as pessoas buscavam em ídolos criados pela mente e por mãos humana, Abraão buscava apoiar sua fé no Deus invisível, não criado por homens, mas Criador dos homens e de todas as coisas.

Através da concepção monoteísta de Abraão que a bíblia foi escrita, através da sua descendência se formou um povo para ser luz para as nações, através deste povo que foi revelada a lei do Senhor, pela a linhagem de Abraão vieram os sacerdotes, os profetas, os reis e o Messias, através do Messias que a promessa de salvação chegou aos confins da terra.

Desenvolver a espiritualidade e a salvação é viver uma vida firmada na obediência a palavra do Eterno. Mesmo vivendo em um mundo onde o sistema é governado pelo o maligno, à esperança dos justos é antecipação do Reino Vindouro. Apesar dos homens ter criado a religião como um meio para se desenvolver a fé e a espiritualidade, o mais vale obedecer e seguir o Senhor Eterno do que as doutrinas e filosofias humanas.

A teologia, a filosofia e toda ciência é limitada em si mesma, muitas vezes cheias de contradições e não esclarecedoras da verdade. Mas a palavra do Senhor é Eterna, passarão os céus e a terra, nenhum ponto da palavra deixará de ter valor e de cumprir os propósitos pela qual foi designada.

A verdadeira espiritualidade não está apegada a nenhuma religião, mas a uma vida integra e firmada na verdade que o único caminho da salvação. Nisto se baseia a esperança dos justos, não neste mundo, mas no porvir da realidade – A Eternidade. 

sábado, 4 de junho de 2011

O grande dia do Senhor

Passará os céus e a terra, mas a palavra do Eterno não passará.
Antes perecerão os homens, a filosofia, a teologia e toda ciência.
A palavra santa, boa, perfeita e agradável é compatível aos justos,
Aos ímpios que se alimentam da mentira, da morte, da ambição e da iniquidade,
Reservado está para eles o inferno juntamente com o diabo e seus anjos.
Existem milhões de religiões, mas apenas um caminho para a eternidade.
O amor que se esfria a cada dia, faz da verdade para a humanidade relativa.

Quem me dera gritar bem alto para o mundo ouvir
As boas novas do Reino Eterno que há de vir.
Mas, se não ouviram os profetas.
E rejeitaram o próprio Messias
Poderei lançar perolas aos porcos?

Ah, mas que tem ouvidos para ouvir, ouça...
O tempo está se afunilando,
O grande dia está chegando,
Alegria e jubilo para os santos,
Lamento e dor para os profanos.

Podem matar os profetas, mas jamais silenciarão a voz que clama,
“Arrependam-se enquanto é tempo”
Pois, fora do tempo buscarão e não acharão,
Bradarão e não serão ouvidos,
Eis que está perto o grande dia do Senhor.


domingo, 1 de maio de 2011

MEU MUNDO É O MUNDO VINDOURO, O MUNDO DO MESSIAS.

Por Giliardi Rodrigues

Meu mundo é de cores, de musicas, de perolas, de poemas, de estórias e de amores. O jardim do meu mundo é o universo da eternidade. No meu mundo a paz e a justiça são a realeza. Os homens não fazem mais guerra, a vida é vivida sem fronteiras. No meu mundo não há morte, não há diabo e nem inferno. Neste meu mundo o leão come palha junto com o cordeiro, o urso e a vaca pastam juntos, uma criança brinca com a serpente nas mãos sem lhe causar nenhum dano. Meu mundo é o mundo vindouro, o mundo do Messias. Não! Não é um mundo de encanto e fantasias, também não é um mundo de utopias – mas é um mundo eterno e real.

Pelas ruas do meu mundo há muitas riquezas, não há doenças, não há fome, não há pobreza. Toda a cidade é adornada de ouro puro, há muitos diamantes, pedras preciosas adornam os muros. No meu mundo não tem sol, no meu mundo não tem lua e nem estrela cadente, pois a gloria do ETERNO é como um cristal resplandecente. No meio da cidade há um rio cujas águas são cristalinas, um rio cuja sua fonte nunca seca. As margens deste rio está a mais bela de todas – “A arvore da vida”.

Neste meu mundo nada envelhece, pois o tempo já não mais existe. Não há preocupação, não há stress, não há ansiedade, não há loucura, não há alucinação – nada disso existe. No meu mundo há muita festa, há muita comida, há muita bebida e muita alegria. Meu mundo é repleto de harmonia, de reis e sacerdotes, de luz, de crianças e de alegria. Meu mundo é um palácio real cheio de beleza, repleto de joias raras, onde tudo transborda nostalgia.

Os arcanjos passeiam tranquilos pela a cidade. Reciprocamente os anjos, os querubins e os serafins ficam o tempo todo ministrando louvores ao grandioso REI. No meu mundo os justos recebem a sua herança, todos que lutaram com fé e nunca perderam a esperança inclinam a sua cabeça sobre o peito do Pai Abraão. Toda a terra é como a planície do Éden, toda a terra é cheia do conhecimento e dá gloria do REI ETERNO.

O pecado e a iniquidade não existem no meu mundo. Os homens não tem mais a inclinação em praticar o mal. O Espírito do Eterno gravou a lei do Senhor no coração de todos os viventes. Todos os anos as nações sobem a cidade de ouro para celebrar a grande festa de tabernáculos, há gente de todos os povos, línguas e raças. No meu mundo não há discriminação e nem acepção de pessoas. Todos somos um no Messias, assim como ele é um com o Eterno.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

A Eternidade e a imortalidade.

Por Giliardi Rodrigues

O homem foi feito para ser eterno, mas não imortal.

O homem foi criado e formado imagem e semelhança do Eterno, logo o homem também é eterno. Entretanto a vida é condicionada aos princípios que o Criador de todas as coisas estabeleceu.  A morte é apenas um estado transitório ou consequência dos atos de cada individuo.

“... A alma que pecar, essa morrerá" (Ez. 18:4).

As escrituras sagradas afirmam que todos pecaram. assim todos deverão experimentar a morte. A bíblia também diz que o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito do Senhor é a vida eterna. 

É importante destacar e entender que a morte não anula a eternidade, pois todas as pessoas que morreram um dia ressuscitarão. Evidentemente, que uns ressuscitarão para a gloria eterna e outros para condenação eterna. O apostolo João afirma categoricamente no livro de apocalipse que o Messias devorará a morte e a lançará no lago de fogo (Ap 20:14). 

Ao contrario do que muitas pessoas imaginam, o inferno e o lago de fogo são coisas distintas, pois a bíblia mesmo diz que o inferno será lançado no lago de fogo. Inferno significa Sheol que pode ser entendido como morte ou sepultura. Assim a morte será lançada no lago de fogo e deixará de ter poder sobre a vida.

O primeiro Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante. (1 Co 15:45)

Se o primeiro homem não tivesse pecado, certamente estaria vivo até hoje. Foi pelo o pecado de Adão que a morte entrou no mundo. O apostolo Paulo diz que da mesma forma que pela transgressão de um homem a morte entrou no mundo, pela a obediência plena de um homem a morte deve sair deste mundo.

Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, o Eterno os tornará a trazer com ele                  (1Ts 4:13- 14).

O texto é claro ao afirmar que a morte é como um estado de dormência, e que todos sem exceção voltarão à vida na vinda do Messias. Assim a esperança dos justos não se deve limitar somente a realidade desde mundo, mas a realidade do porvir. O homem neste mundo pode viver em media 80 anos, contudo essa vida não é nada comparada a eternidade e aquilo que o Senhor Eterno tem preparado para aqueles que o amam.



Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que o Eterno preparou para os que o amam. Mas Senhor no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas do Eterno. Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim, também, ninguém sabe as coisas do Senhor, senão o Espírito do Senhor. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém do Senhor, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Senhor.  (1 C0 2:9-12)




sábado, 16 de abril de 2011

O CÂNCER DA HUMANIDADE, ou O QUE É PAGANISMO?

Por Giliardi Rodrigues


Paganismo é um tipo de religiosidade que agrega crenças e cultos a distintas formas de divindades. Existe uma variedade muito grande sobre aquilo que se pode denominar pagão. Os movimentos pagãos geralmente são politeístas, panteístas e animistas. Por via de regra, o paganismo atribui divindade aos elementos do universo e da natureza. Para se ter uma ideia mais ampla, o paganismo confere um espírito ou entidade divina a todos os elementos da criação.


Desde os tempos mais antigos da humanidade o paganismo foi sendo desenvolvido por grupos nômades que atribuíam divindades aos elementos da natureza. Toda a cultura e religião se apoiam na mãe natureza. Assim existe o deus do sol, a deusa da lua, o deus da caça, a deusa da fertilidade, o deus do mar, etc. Um atributo comum entre todos os povos pagãos é a existência de deuses e deusas. Mas, às vezes tendo a figura feminina como dominante por está ligada a mãe natureza.

Dentro do paganismo tudo pode ser relativo, pois a ideia de dualismo não é absoluta. Assim não há oposição entre o bem e o mal, o céu e o inferno, o espírito e a matéria. Desta maneira, não permanece a noção de pecado como um mal integral. No entanto, existem correntes do paganismo que são altamente dualistas principalmente as que foram influenciadas pelo pensamento platônico e alguns outros pensadores gregos.

Como existem diversas formas de paganismo, cada individuo pode manifestar a sua fé de forma individual ou através de grupos que comungam da mesma tradição, popularmente conhecidos como tribos ou clãs. Para muitos estudiosos o paganismo é uma espécie de cultura que expressa uma espiritualidade peculiar de vários povos em diversas localidades. Entre os povos da antiguidade se destacam como pagãos os Celtas, os egípcios, os babilônicos, os gregos e os romanos.

Outra característica comum entre todos os povos pagãos é a trindade. No Egito antigo, os principais deuses eram: Amon-Rá - deus do sol, Ísis – deusa da fertilidade e Osíris – deus da fecundidade. A personificação destes deuses na terra era através do Faraó que também era adorado e venerado pelos os Egípcios.

Na antiga Grécia dentre a diversidade de deuses, os principais deuses eram: Zeus – deus dos deuses, Poseidon – deus dos mares e Hades – deus das regiões inferiores (Inferno). Todos eram filhos de Gaia – A mãe da terra ou mãe natureza.

Com relação aos deuses as afrontas são sempre diretas e pessoais, ou seja, um deus pode castigar um ao outro como um ser humano pode ser castigado por uma divindade ofendida.

Em Roma os deuses eram semelhantes aos deuses gregos, assim Júpiter era o deus dos deuses, Netuno o deus dos Mares e Marte o deus da guerra. O politeísmo pagão foi perdendo forças com o avanço do cristianismo em Roma. Entretanto, o paganismo influenciou o cristianismo com a ideia de um deus manifesto em uma trindade, no ano 325 o imperador Pagão chamado Constantino oficializa no concilio de Niceia o dogma da trindade no cristianismo, tornando assim o cristianismo uma religião politeísta.

Embora a trindade do paganismo e a trindade do cristianismo não sejam idênticas por detalhes de definição, não há como negar que uma se originou da outra. Foi através da teologia sobre forte influencia da filosofia grega que muitas doutrinas e pensamentos pagãos adentraram no seio da cristandade. Não somente o cristianismo foi influenciado pelo o paganismo como todas as religiões do mundo. O paganismo é um câncer na humanidade, pois se apoia no relativismo para distorcer os princípios morais da verdade.

Na mente pagã não existe nada errado, tudo é permitido – cada pessoa deve viver em satisfação dos seus próprios desejos e prazeres. Deste modo, existe um deus ou uma força na natureza para satisfazer cada desejo humano. Assim como existe a deusa do amor (Afrodite), também existe a deusa da castidade (Diana). Como existe o deus do inferno (Hades) também existe o deus dos céus (Zeus). Existe o deus da glutonaria (Momo) também o deus da bebedice (Baco) – E por ai vai...

Há milhares de divindades pelo o mundo a fora, elas podem ser conhecidas por nomes diferentes, mas a entidade é a mesma. Um grande exemplo é Poseidon deus grego dos mares, Netuno deus romano dos mares e Iemanjá deusa brasileira do Mares. A mesma Afrodite conhecida entre os gregos como a deusa das orgias sexuais é a mesma entidade Pomba Gira entre o brasileiros.

“São deuses, deusas, entidades e divindades para dar e vender”.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

É Pessach, é Páscoa...

Por Giliardi Rodrigues 


É tempo de se deleitar e regozijar nas promessas no Eterno,
É tempo de celebrar a liberdade,
É tempo de trazer à memória aquilo que nos dá esperança,
É tempo de profetizar o Reino do Messias,
É tempo de marchar rumo à Nova Jerusalém,
É tempo de buscar sabedoria no Espírito do Senhor,
É tempo de caminhar pelo deserto rompendo limites,
É tempo de restaurar nossa fé,
É tempo de cantar hinos de louvor,
É tempo de se limpar de todo fermento, pecado e iniquidade,
É tempo de santificação,
É tempo de se preparar para pentecostes,
É tempo de aproximar do Eterno com as mãos limpas e coração puro,
É tempo de obediência a lei do Senhor,
É tempo de festa, alegria e jubilo,
É tempo de graça e de redenção.

domingo, 27 de março de 2011

PÁSCOA – UMA CELEBRAÇÃO HISTÓRICA, PROFÉTICA E ESPIRITUAL

Por Giliardi Rodrigues

Apesar da festa de tabernáculos ser a maior festa da bíblia, a ponto de ser chamada “A Festa”, a celebração de páscoa é sem sombra de duvida a mais importante. Pois, todas as festas estão interligadas diretamente ou indiretamente a ela. Além disso, no mesmo período de páscoa se celebra o ano novo bíblico, a festa de pães ázimos, Purim e cinquenta dias depois da páscoa a festa de pentecostes.

O que poucas pessoas sabem, é que celebrar a festa de páscoa é um mandamento. O Eterno ordenou que esta solenidade fosse exaltada por todas as gerações por estatuto perpétuo.

E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor: nas vossas gerações o celebrareis, por estatuto perpétuo. (Êxodo 12:14).

A páscoa é a festa da liberdade ou da libertação da escravidão. Tanto no sentido histórico, quanto no âmbito espiritual. Ela remete a passagem de um estado inferior para uma condição superior.

A Casa de Israel comemora páscoa em memória a libertação do povo Hebreu da escravidão do Egito. Já o cristianismo celebra a páscoa por causa da morte de Jesus que aconteceu no período de páscoa. Embora a festa tenha origem judaica, ela é celebrada por vários povos da terra, pois em ambos os casos remonta a transição do velho para o novo, ou seja, a passagem de uma vida de escravidão para uma vida de liberdade.

O Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei: isto é o meu corpo, que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue: fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha. (1 Co 11:23-26)

A solenidade de páscoa também tem um sentido profético. A bíblia nos diz que um dia o Messias virá para estabelecer o seu Reino e para resgatar o seu povo da escravidão deste mundo para a nova Jerusalém.

Parece que a historia volta a se repetir, da mesma forma que Moisés libertou o povo do mundo do Egito, o Messias um dia virá para libertar o seu povo deste mundo. Moises conduziu o povo ensinando a lei do Senhor pelo o deserto, da mesma forma o Messias colocará a lei no coração dos salvos durante o seu reino milenar. As escrituras dizem que o modelo de liderança feita por Moisés será o modelo de liderança do Messias em um sentido muito mais elevado. Moises mesmo disse que haveria um que é semelhante a ele e ao mesmo tempo maior do que ele, ao Messias todo o povo deve dar ouvidos e obedecer, caso contrário, será retirado do meio do povo do Senhor.

Existem muitos motivos pelos quais devemos celebrar páscoa:

·         A passagem da escravidão para a liberdade.
·         A transição das trevas para a luz.
·         A caminho da morte para a vida.
·         A saída do deserto para Jerusalém
·         A fidelidade do Senhor para com seu povo.
·         A memória do povo do Senhor.
·         O egresso da ignorância para a sabedoria.
·         Mudança da miséria para abundancia.
·         O novo nascimento.
·         A libertação deste mundo para o Reino do Messias.