Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Bendito seja o Eterno nosso D'us.


 

  1. Bendito é o Senhor Criador dos céus e da terra que reina de eternidade a eternidade por todo o sempre. A sua destra é fiel e os seus mandamentos são justos e cabíveis, seu nome é Santo e a sua bondade e misericórdia são as razões de tudo existir.
  2. Bendito é o D'us de Abraão, Isaque e Jacó. Louvado e adorado seja no seu santo trono. O D'us de Israel é um D'us de paz, justiça e amor. Ele se compadece e derrama a sua graça mesmo não sendo nós merecedores.
  3. Bendito é o D'us que nos acolhe com a sua graça e nos santifica com os seus mandamentos. Que o teu Santo Espirito possa nos guiar nos caminhos da tua palavra, que o teu Santo Messias possa reinar sobre nós e trazer paz as nações.
  4. Bendito é o autor da vida que trouxe a existência todas às coisas através da sua palavra, que possamos assim todos os dias agradecê-lo e buscarmos acima de tudo amá-lo através de ações e não meramente de palavras.
  5. Bendito é o D'us nosso redentor e salvador, ele é a nossa fortaleza e o nosso baluarte. O Senhor todo poderoso é o guarda de Israel que não dorme e não dormitará, ele está sempre presente e luta em defesa do seu povo.
  6. Bendito é D'us que nos ensina o caminho da justiça e do amor, a sua lei é perfeita e refrigera a alma dos justos e dá sabedoria ao simples. Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração, o mandamento do Senhor é puro e ilumina os olhos.
  7. Bendito é o Senhor que ouve e responde as nossas orações, a sua palavra é verdadeira e nele não há mentira e nem engano. Bendito é aquele que vem em nome do Senhor, ele é a nossa esperança e a nossa redenção para todo sempre. Amém, e amém.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

A fé na ressurreição.

Por Giliardi Rodrigues


 

A concepção de que os justos não pertencem a este mundo representa escândalo para pagãos e uma revelação para os herdeiros do Reino de D'us. Sempre se questiona o porquê D'us permite que as pessoas boas morram cedo, alguns sem mesmo nenhuma logica ou explicação. Caso é que ainda não temos todas as respostas no que tange a vida e muito menos qual é a realidade do espirito após a morte.

E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno. (Daniel 12:2).

Ressuscitar significa voltar à vida novamente. Apesar de cada religião ter a sua crença e as suas respostas a respeito da vida após a morte não modifica a verdade, o fato de se acreditar o não na eternidade não vai mudar a realidade da vida e da morte.

A bíblia nos garante que quando uma pessoa morre o seu espirito volta novamente para D'us. Todos os mortos estão nele e um dia esses mesmos espíritos voltarão a seus corpos e tornarão a ser novamente alma vivente. Claro, que isso pode parecer um absurdo ou um fato impossível de se acontecer, mas desde o principio D'us tem anunciado os seus propósitos para a redenção do homem e da criação.

Ora, se se prega que Messias ressuscitou dos mortos, como dizem alguns de entre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, também o Messias não ressuscitou. (1 Coríntios 15:12-13)

A ressurreição de fato é um mistério, pois ainda não sabemos que dia e como será esse momento. D'us fez o homem a sua imagem e semelhança para ser eterno, mas não para ser imortal. A condição para a vida eterna estava condicionada a obediência à palavra de D'us. Adão como primeiro homem criado por D'us falhou na sua missão de ser fiel e obediente a palavra de D'us, em consequência disso toda a criação que estava sujeita ao homem caiu juntamente com ele. Nós não herdamos os pecados de Adão, mas herdamos uma natureza pecaminosa e uma tendência muito grande para praticar o mal.

Porque, para mim, tenho por certo que as aflições deste tempo presente, não são para comparar com a glória que em nós há-de ser revelada. Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que, também, a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto, até agora. E não só ela, mas, nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adopção, a saber, a redenção do nosso corpo. (Romanos 8:18-23)

Se a nossa esperança se limita somente a essa vida, pobres e miseráveis homens que somos. Os justos tem a consciência que não pertencem a este mundo corrompido pelo o pecado e dominado pelas as trevas. Isso explica a razão de muitas pessoas terem entregado as suas próprias vidas em favor de outras pessoas.

Yeshua (Jesus) mesmo disse que se alguém na verdade, como um grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, nasce e dá muito fruto. Por esta razão quem ama a sua vida perdê-la-á, e, quem neste mundo, renuncia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna.

A morte é apenas uma passagem para a eternidade, para herdar a vida eterna é necessário primeiramente morrer. Assim é comparada a vida a um grão de trigo ou uma semente que só pode germinar e dar fruto se primeiramente cair na terra e morrer.

D'us não tem prazer na morte de um pecador, mas grande deleite na morte de um justo. Pois o próprio D'us um dia ressuscitará do mesmo modo o ímpio e o justo, no entanto uma para a gloria eterna e o outro para a condenação eterna.

Os justos não tem medo da morte, pois tem a certeza do seu galardão na eternidade. Sim, os ímpios, os néscios, os descrentes e os ateus devem temer a morte, pois não tem fé e nem esperança na eternidade, a mente deles se limitam somente a realidade deste mundo.

A razão dos justos é loucura para pagãos, a mensagem da vida e da ressurreição é delírio para os que sem encontram perdidos neste mundo e sem esperança do mundo vindouro. Um dia todos estarão diante do Eterno para prestar conta de suas vidas, independente se acredita em D'us ou não.

E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados, cada um, segundo as suas obras. (Apocalipse 20:13)

Se seguirmos uma logica e pensarmos racionalmente não temos nada a perder; suponhamos que por alguma razão estamos errados e enganados na nossa fé, o nosso futuro será como o deles, padeceremos e a nossa vida se encerra na morte (Morreu e acabou), mas se estivermos certos e convictos que D'us um dia ressuscitará todos os mortos, nós que morremos como justos obedientes à palavra de D'us ressuscitaremos para a vida eterna e eles para a condenação eterna.

sábado, 14 de agosto de 2010

Vaidade de vaidades...

contador de visitas
Este Blog
Link daqui
A web
Este Blog
 
 
 
 

Por Giliardi Rodrigues




Vaidade de vaidades...
Na verdade tudo é vaidade.
Nas torres da cidade
E no ego das celebridades.


Vaidade de vaidades...
Na realidade tudo é vaidade.
Num mundo de complexidades
Impera a tecnologia de futilidades.


Vaidade de vaidades...
Muitas teorias e poucas afinidades,
Ilusões e fantasias, mentiras e falsidades,
Vivendo no engano, mas em busca da felicidade.


Vaidade de vaidades...
O dinheiro é a sina da mais pura irresponsabilidade,
Matam por prazer, sem dó e sem piedade,
Muita habilidade para pouca cumplicidade.


Vaidade de vaidades...
Dizia o sábio Salomão confuso na sua genialidade,
Como um aio sem sustentabilidade,
Mulheres pode ser um apoio, mas também a falta de tranquilidade.


Vaidade de vaidades...
Quem é digno para ter ainda dignidade?
Quem é justo na sua totalidade?
Será que o amor tem prazo de validade?


Vaidade de vaidades...
Muitas dúvidas, muitas possibilidades,
Muitas dívidas, poucas propriedades,
Muito blá, blá, blá... E pouca objetividade.


Vaidade de vaidades...
Com inércia, sem agilidade,
Sem estratégia, sem finalidade,
Basta a hipocrisia com toda a sua formalidade.


Vaidade de vaidades...
Não sou poeta, sou apenas Gileade,
Desculpem-me a sinceridade,
Mas, até mesmo eu contenho vaidades.

domingo, 8 de agosto de 2010

A grande revelação do meio do fogo.

Por Giliardi Rodrigues


 

E vós vos chegastes, e vos pusestes ao pé do monte; e o monte ardia em fogo, até ao meio dos céus, e havia trevas, e nuvens e escuridão; Então o Senhor vos falou do meio do fogo: a voz das palavras ouvistes; porém, além da voz, não vistes semelhança nenhuma. Então vos anunciou ele o seu concerto, que vos prescreveu, os dez mandamentos, e os escreveu em duas tábuas de pedra. (Deuteronômio 4:11-13)

A única parte da bíblia que foi escrita com o próprio dedo de D'us foram os mandamentos. O Eterno chamou Moises e todo Israel e disse-lhes: Ouve, ó Israel, os estatutos e juízos que hoje vos ordeno; e aprendê-los-eis, e guardá-los-eis, para cumpri-los, Cara a cara o Senhor falou convosco, no monte, no meio do fogo.

Sem duvida esse dia foi um divisor de águas para toda a historia de Israel e para o destino da humanidade. O próprio de D'us apareceu ao povo em cima do monte Sinai, no meio de uma nuvem espessa, houve trovões e relâmpagos e um som muito forte de modo que todo o monte estremecia. Todo o monte fumegava, porque o próprio D'us descera sobre ele, em fogo e o seu calor se ascendeu e todo o monte ardia em fogo, mas não era consumido.

Essa foi uma experiência tão forte de modo que até os dias de hoje quando lemos a bíblia e tentamos descrever a entrega da Torá (Mandamentos) pessoas ficam arrepiadas e impactadas com esse acontecimento. O sobrenatural de D'us se revela ao natural do homem, unindo em si o mundo espiritual ao mundo físico.

Cinquenta dias após a páscoa e da saída de Israel das terras do Egito, acontece o primeiro Pentecostes ou Shavuot. O D'us Criador dos céus e da terra falou ao povo em voz de fogo e em setenta idiomas diferentes. Conta o Midrash que o Eterno falava e uma enorme chama de fogo ficava em cima do monte e se repartia em setenta chamas de fogo com vozes diferentes. Os mandamentos de D'us não eram somente e exclusivos para Israel, mas para toda a humanidade, por este motivo os mandamentos foram pronunciados e ortogados por D'us em todas as línguas das nações.

Israel como povo escolhido de D'us exerce um papel coorporativo diante de todas as nações da terra, os hebreus foram designados povo peculiar de propriedade exclusiva de D'us pelo o pacto da aliança de D'us com Abraão.

A revelação do Sinai condiciona não somente a Israel a obediência à lei de D'us, mas todas as pessoas que foram chamadas a salvação pela submissão a palavra de D'us. O D'us de Abraão, Isaque e Jacó não faz acepção de pessoas, pelo o contrário, ele quer todos alçassem a dádiva da graça, do amor e da justiça. D'us jamais proibiu estrangeiros na terra de Israel, ele sempre quis que os estrangeiros fossem bem recepcionados na Terra de Israel. No entanto a permanência e a herança da terra de Israel ao povo hebreu estava condicionada a obediência à lei de D'us.

Mas, se me não ouvirdes, e não fizerdes todos estes mandamentos, E se rejeitardes os meus estatutos, e a vossa alma se enfadar dos meus juízos, não cumprindo todos os meus mandamentos, para invalidar o meu concerto, Então eu, também, vos farei isto: Porei sobre vós terror, a tísica e a febre ardente, que consumam os olhos e atormentem a alma; e semeareis debalde a vossa semente, e os vossos inimigos a comerão. E porei a minha face contra vós, e sereis feridos diante dos vossos inimigos; e, os que vos aborrecerem de vós se assenhorearão, e fugireis sem ninguém vos perseguir. E, se ainda com estas coisas não me ouvirdes, então eu prosseguirei em castigar-vos, sete vezes mais, por causa dos vossos pecados.[...] Estes são os estatutos, e os juízos, e as leis que deu o Senhor entre si e os filhos de Israel, no monte Sinai, pela mão de Moisés. (Levítico 26:14-28 / 26:46)

A benção e a maldição estava diante do povo, a lei é um divisor do que é certo e do que é errado. O apostolo Paulo diz que sem a lei o homem jamais saberia o que é pecado, pois o pecado é resultante da desobediência à lei de D'us. Da mesma forma sem lei o homem jamais poderia conhecer a D'us, pois pela obediência foi que os patriarcas e os profetas foram chamados justos.

Estes são os mandamentos que o Eterno escreveu nas tabuas de safira e pronunciou no meio do fogo em setenta idiomas diferentes no monte Sinai ao profeta Moisés:

1 - Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim.

2 - Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam, e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.

3 - Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente aquele que tomar o seu nome em vão.

4 - Lembra-te do dia do sábado, para santificá-lo. Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho; mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou; por isso o Senhor abençoou o dia do sábado, e o santificou.

5 - Honra o teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.

6 - Não matarás.

7 - Não adulterarás.

8 - Não furtarás.

9 - Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

10 - Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.