Total de visualizações de página

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

No jardim da idolatria





No crepúsculo dos ídolos tudo o que é profano se torna santo. A idolatria reina como a máxima absoluta dentro de um vazio impreenchível. As pessoas não percebem, mas toda ideologia é fadada ao fracasso. Idolatria é o prazer momentâneo ou o caminho rumo ao nada. A veneração é um culto onde a razão é negada na sua própria expressão – em outras palavras; vaidade. 

Idolatria é um caminho de morte, de anulação, de limitação, de ignorância, de vicio por prazer, de interesse próprio, de medo, de profanação e fatuidade. Seja consciente ou inconsciente, toda ideologia está condicionada ao fracasso. Nunca nenhum conceito solucionou os problemas do mundo – muito pelo o contrário. 

As coisas materiais e abstratas são neutras em si mesmas, não possuem nenhum tipo de força positiva ou negativa. Os ídolos estão dentro da mente humana, a inclinação para o mal é que rege este desejo. Tudo aquilo que controla e escraviza a pessoa é idolatria. O homem é o único ser em toda a natureza que possui a capacidade de pensar e se tornar escravo dos seus próprios conceitos. 

Praticar idolatria é negar o próprio caráter, é se amordaçar na religião, na política, nas drogas, no sexo, no dinheiro, no poder, na filosofia ou qualquer coisas semelhante a estas (utopia). Idolatria nada mais é que alucinação, imaginação, fantasia, ilusão e engano. A coisa é tão critica que o idolatra sempre tem o orgulho de manifestar a sua paixão por aquilo que o domina – é um tipo de síndrome de Estocolmo. 

Animais e plantas ou qualquer tipo de ser vivente não praticam idolatria, mas tão somente o ser humano. Idolatria é uma doença que acomete a mente humana e o escraviza em forma de vicio. É uma espécie de vírus que deprava e condiciona o homem a insignificância da imundícia. Centenas de milhares de pessoas em toda historia da humanidade foram contaminadas pela a sua própria mente, se tornaram escravas das suas próprias apreciações e concepções errôneas a respeito da realidade. Entretanto, houve muitos que conseguiram de alguma forma dominar este mal. Idolatria é uma moléstia, um tipo de inclinação para a loucura ou anulação da própria consciência. 

Não seja e não permita ser escravo de nada – seja senhor da sua própria consciência. 







Nenhum comentário: