Total de visualizações de página

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Messias Judeu x Messias Cristão.















Para os judeus o Messias é um homem descendente de Davi. Para os cristãos Jesus é a segunda pessoa da trindade e ao mesmo tempo é o próprio Deus. Para os judeus o Messias restaurará as doze tribos de Israel e reinará sobre toda a terra. Para os cristãos Jesus vai arrebatar a igreja e levar todos os salvos para o céu. Para os judeus o Messias ensinará a lei de Moisés a todos os povos da terra. Para os Cristãos Jesus aboliu a lei e trouxe um novo evangelho da graça. Para os judeus somente o Pai é capaz de salvar e perdoar pecados. Para os cristãos Jesus pode perdoar qualquer pecado e quem nele crer será salvo. Para os judeus o Messias jamais irá desamparar Israel. Para os cristãos Jesus veio para os judeus, mas eles o rejeitaram. Para os judeus o Messias trará paz sobre toda a terra. Para os cristãos Jesus mesmo disse no evangelho de Mateus que não veio para trazer paz, mas espada, ele veio para colocar pai contra filho e filho contra pai. Para os judeus o Messias firma uma nova aliança com a casa de Israel. Para os cristãos essa nova aliança pertence aos gentios. Para os judeus o Messias há de vir. Para os cristãos ele já veio e voltará para levar a igreja.


Qual verdadeiro Messias, o Judeu ou o Cristão? Ele já veio ou há de vir? 








2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Blog encantador,gostei do que vi e li,e desde já lhe dou os parabéns, também agradeço por partilhar o seu saber, se achar que merece a pena visitar o Peregrino E Servo,
também se desejar faça parte dos meus amigos virtuais faça-o
de maneira a que possa encontrar o seu blog,para que possa seguir também o seu blog.
Deixo os meus cumprimentos, e muita paz.
Sou António Batalha.

Ivani Medina disse...

Quando iniciei minha pesquisa diletante acerca da origem do cristianismo, eu já tinha uma ideia formada que pode parecer esdrúxula: a perseguição aos judeus. Portanto, nada de Bíblia, teologia e história das religiões. Todos os que haviam explorado esse caminho haviam chegado à conclusão alguma. Contidos num cercadinho intelectual, no máximo, sabiam que o que se pensava saber não era verdade. É isso o que a nossa cultura espera de nós, pois não tolera indiscrições. Como o mundo não havia parado para que o Novo Testamento fosse escrito, o que esse mesmo mundo poderia me contar a respeito dessa curiosidade histórica? Afinal, o que acontecia nos quatro primeiros séculos no mundo greco-romano, entre gregos, romanos e judeus? Ao comentar o livro “Jesus existiu ou não?”, de Bart D. Ehrman, exponho algumas das conclusões as quais cheguei e as quais o meio acadêmico de forma protecionista insiste ignorar.

http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver