Total de visualizações de página

domingo, 6 de maio de 2012

Lições, ou Opção de escolha.


Às vezes é necessário recuar para depois avançar, é um passo para traz em seguida três para frente.

E assim segue a vida...

Às vezes o que pensamos perder é ganho, e o que pensamos ganhar é perda.

Infelizmente ou felizmente;

Temos que renunciar algo em pró de outro. Evidentemente que não podemos ter tudo de uma só vez, mas podemos tudo de cada vez.

Ganhando, perdendo, sofrendo, aprendendo (...).

Bom seria não errar! Todavia, podemos aprender com os nossos próprios erros e com os erros do outros. (Os tolos nunca aprendem isso).


”Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para traz as coisas de menino.” (I Coríntios 13.11).

Maturidade e experiência vem com o tempo, até porque ninguém nasce sabendo nada. Tudo na vida é formado, moldado e aprendido.

A bíblia diz que até Yeshua (Jesus) aprendeu através do seu próprio sofrimento (Hb 5;8), por esta causa ele padeceu em favor de muitos. E é exatamente isso que devemos extrair com um dos maiores ensinamentos. Sim, é o amor que nos fazem perder para ganhar, nos fazem doar sem buscar receber nada em troca, é por meio do amor que damos a nossa vida em pró de algo maior que nos mesmos. É amando o outro com todas as imperfeições que nos descobrimos enquanto pessoas.

Viemos a este mundo e não trouxemos nada, da mesma forma partiremos deste mundo e não levaremos nada, ou melhor, se tem algo que é tão somente nosso é o conhecimento, o caráter e a personalidade (Isso ninguém nos tira).

Todos nós somos uma pedra preciosa em estado bruto, ou seja, precisamos ser moldados e,ou lapidados. Enquanto alguns mesmo tendo valor preferem permanecer em estado bruto, outros conseguem quase chegar ao estado da perfeição. Muita das vezes, tudo isso acontece por questão de escolhas ou por forças das circunstancias. É fato, a vida sempre irá nos ensinar algo a cada momento.

De nada adianta jogar a culpa do sofrimento nos outros, no destino ou no acaso. Todos nós temos dentro do nosso coração um potencial para escolher entre o bem e o mal, ou seja, na “maioria” das vezes tudo acontece de bom ou de ruim em nossa vida por nossa permissão ou por fruto de nossas escolhas. O que foge desta realidade é algo que escapa do nosso controle, por exemplo: a morte.

Nenhum comentário: