Total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Teshuvá - O caminho de volta, ou Constantino, Lutero, Maomé e seus sucessores.



Por Giliardi Rodrigues

Estava ali, bem ali o tempo todo...

Será que ninguém vê ou ninguém nunca percebeu a imagem sombria que se esconde por traz das aparências? Por séculos uma mentira contada muitas vezes acabou tomando uma roupagem de verdade!



Refiro-me a religião de Constantino que de alguma forma rompeu as barreiras do tempo e espalhou todo o paganismo podre herdado da babilônia para contaminar a fé ingênua de muitas pessoas. Nem mesmo Lutero e seus sucessivos reformadores conseguiram expungir as tatuagens de Ninrode. Quem sabe o grande erro dos reformadores foi tentar reparar algo que deveria ser demolido e abolido para sempre.



Antes, Maomé também havia tentado. Mas, falhou e não conseguiu! Foi influenciado pela a mesma mentira sofista que enganou a todos que tentaram inventar ou reinventar uma nova religião.  


Verdade seja dita, doa a quem doer...

A religião em si é uma falácia, pois em vez de religar o homem a sua essência, se tornou a causa depois do pecado de Adão a desgraça de toda a humanidade. Se existe uma maldição hereditária, com certeza a pior não é a “Teoria do pecado original”. Todavia a casta de religiosidade hipócrita e desumana que nada tem haver com espiritualidade e o Reino Eterno.

A historia desde os tempos mais remotos da humanidade parece se repetir, muda-se o cenário e os personagens, mas o roteiro é o mesmo. Toda vez que o mundo parece perdido e jaz entregue ao domínio do maligno, há sempre um êxodo ou um caminho de volta a terra prometida (Teshuvá) para o filhos do Eterno. O Senhor jamais abandonou seus filhos e nunca ocultou a verdade daqueles que o buscam de mãos limpas e coração puro. Os filhos do Eterno estão neste mundo. Mas, não são deste mundo. Pois o mundo inteiro não é digno e nem merecedor dos herdeiros do Reino Eterno.

Um dia na eternidade ou nos dias do Rei Messias toda mentira, hipocrisia, religiosidade deixará de existir. Ninguém nunca mais se lembrará de Babel e Ninrode. Jamais haverá alguma coisa que se remeta ao Egito, a babilônia, a religião de Constantino ou a de Maomé. Tudo será pleno e perfeito, não mais haverá filosofias e ciência de homens, tão pouco teologias, mitologias e idolatrias. O povo santo e escolhido que foi salvo e todos os justos que tiveram as suas vestes limpas pelo o sangue do cordeiro caminharão em paz na nova Jerusalém.





Nenhum comentário: