Total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Teshuvá - O caminho de volta, ou Constantino, Lutero, Maomé e seus sucessores.



Por Giliardi Rodrigues

Estava ali, bem ali o tempo todo...

Será que ninguém vê ou ninguém nunca percebeu a imagem sombria que se esconde por traz das aparências? Por séculos uma mentira contada muitas vezes acabou tomando uma roupagem de verdade!



Refiro-me a religião de Constantino que de alguma forma rompeu as barreiras do tempo e espalhou todo o paganismo podre herdado da babilônia para contaminar a fé ingênua de muitas pessoas. Nem mesmo Lutero e seus sucessivos reformadores conseguiram expungir as tatuagens de Ninrode. Quem sabe o grande erro dos reformadores foi tentar reparar algo que deveria ser demolido e abolido para sempre.



Antes, Maomé também havia tentado. Mas, falhou e não conseguiu! Foi influenciado pela a mesma mentira sofista que enganou a todos que tentaram inventar ou reinventar uma nova religião.  


Verdade seja dita, doa a quem doer...

A religião em si é uma falácia, pois em vez de religar o homem a sua essência, se tornou a causa depois do pecado de Adão a desgraça de toda a humanidade. Se existe uma maldição hereditária, com certeza a pior não é a “Teoria do pecado original”. Todavia a casta de religiosidade hipócrita e desumana que nada tem haver com espiritualidade e o Reino Eterno.

A historia desde os tempos mais remotos da humanidade parece se repetir, muda-se o cenário e os personagens, mas o roteiro é o mesmo. Toda vez que o mundo parece perdido e jaz entregue ao domínio do maligno, há sempre um êxodo ou um caminho de volta a terra prometida (Teshuvá) para o filhos do Eterno. O Senhor jamais abandonou seus filhos e nunca ocultou a verdade daqueles que o buscam de mãos limpas e coração puro. Os filhos do Eterno estão neste mundo. Mas, não são deste mundo. Pois o mundo inteiro não é digno e nem merecedor dos herdeiros do Reino Eterno.

Um dia na eternidade ou nos dias do Rei Messias toda mentira, hipocrisia, religiosidade deixará de existir. Ninguém nunca mais se lembrará de Babel e Ninrode. Jamais haverá alguma coisa que se remeta ao Egito, a babilônia, a religião de Constantino ou a de Maomé. Tudo será pleno e perfeito, não mais haverá filosofias e ciência de homens, tão pouco teologias, mitologias e idolatrias. O povo santo e escolhido que foi salvo e todos os justos que tiveram as suas vestes limpas pelo o sangue do cordeiro caminharão em paz na nova Jerusalém.





segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Quem é o Messias, ou quem somente pode perdoar pecados?



E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Yeshua; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. (Mateus 1:21).

A primeira promessa do Senhor após a queda do homem é que da semente gerada através da mulher nasceria o homem que pisaria na cabeça da serpente e traria salvação de todas as iniquidades à humanidade. Os reis, os profetas e os sacerdotes em todo tempo da historia testificaram e anunciaram essa verdade. 

Por um só homem o pecado entrou no mundo e pelo o pecado a morte, assim também, todos pecaram e destituídos estão da gloria do Senhor. Da mesma forma que a iniquidade reinou fazendo muitos pecadores dignos de morte, pois o salário do pecado é a morte. Pela a obediência plena de um só homem muitos serão feitos justos e dignos da vida eterna. Assim diz as escrituras: O primeiro homem foi feito em alma vivente; o ultimo em espírito vivificante.

Diz o Zohar (Livro do Esplendor) testificando as palavras do profeta Isaias que se o Messias não tivesse tomado sobre si todos os castigos merecidos por Israel, ninguém seria capaz de suportar os sofrimentos do mundo. Mas o Messias suporta todos os sofrimentos da humanidade.

Mas, como pode o Messias trazer salvação, se as escrituras dizem que somente o Senhor Eterno é capaz de salvar o homem de seus pecados?

Sim, é verdade! Somente o Eterno é que tem poder para salvar o seu povo. Podemos observar nas escrituras que em todo tempo ele mesmo escolheu e capacitou pessoas para que seus propósitos fossem cumpridos. Um grande exemplo é Moises que apesar de não ser um homem perfeito e ser cheio de limitações foi chamado e capacitado para salvar o povo do Senhor do Egito.

Quem salvou Israel do Egito? Quem abriu o mar vermelho e libertou o povo? Foi o Senhor Eterno ou foi Moises?

É obvio que Senhor realizou todas as coisas através do profeta Moises.

Será que é tão difícil entender que somente o Senhor é capaz de salvar o homem e a humanidade? Será que ele não pode usar que ele quer na hora que ele quer para promover os seus feitos? Sim, ele sozinho criou todas as coisas. Mas, a partir do momento dele ter feito e criado o homem ele usou o homem como instrumento para realizar muitos dos seus feitos.

O nome do Messias Yeshua significa o “Eterno Salva”. O Messias foi escolhido pelo o Eterno para trazer salvação a todo aquele que nele crer e obedece a seus mandamentos. O Messias em si é apenas um homem comum, ele mesmo disse que o filho não tem nenhum poder se não for dado pelo o Pai. A bíblia diz que o Messias aprendeu o caminho da obediência através do sofrimento e mesmo não tendo pecado nenhum assumiu em si todas as culpas da humanidade fazendo-se um pecador. Ele entregou a sua própria vida para salvar todos aqueles que estavam mortos em seus próprios pecados.

Ele foi o servo sofredor que não tinha parecer nem formosura: e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos.

Era desprezado, e o mais indigno entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos: e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.

Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si: e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.

Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades: o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho: mas o Senhor fez cair sobre ele à iniquidade de nós todos.

Ele foi oprimido, mas não abriu a sua boca: como um cordeiro foi levado ao matadouro, e, como a ovelha muda, perante os seus tosquiadores, ele não abriu a sua boca.

Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes: pela transgressão do meu povo foi ele atingido.

E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; porquanto nunca fez injustiça, nem houve engano na sua boca.

Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão.

O trabalho da sua alma ele verá, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos: porque as iniquidades deles levará sobre si.

Pelo que, lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercede.