Total de visualizações de página

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Que vantagem têm os justos sobre os injustos?


Por Giliardi Rodrigues


Para uma resposta rápida sem muita análise – Nenhuma.

O sol nasce para justos e injustos, se o justo trabalha é dignificado por ele e o injusto da mesma forma. Se o justo planta é certo que colherá os frutos do seu esforço e o injusto da mesma forma. Existem justos ricos e injustos ricos, existem justos pobres e injustos pobres, o justo precisa de água e de comida, o injusto também. O justo fica doente e o injusto também. O justo pode ter família, empresas e ser bem sucedido e o injusto do mesmo modo.

Fato que neste mundo tudo é passageiro. As glórias são transitórias da mesma forma que os fracassos. A alegria é temporária igualmente com a tristeza. Tudo passa, tudo acaba. Nada, exatamente nada é permanente.

O certo é que ninguém poderia dizer que é alguma coisa, pois quando achamos que somos, estamos à beira de descobrir que não somos nada. Por exemplo, uma pessoa não poderia dizer que é dona deste carro, mas está dona deste carro. Pois um dia ela vai morrer, o carro vai acabar ou por qualquer outro motivo ela pode deixar de ser dona do carro. Logo, o fato de “Ser” também é transitório e passageiro. Prudente é pensar que sem nada vimos para este mundo e sem nada iremos partir deste mundo. Ninguém poderá levar roupas, carros, dinheiro, status, poder, filhos ou qualquer outra coisa quando a morte chegar.

Ora, se tudo neste mundo é passageiro, tudo aquilo que o justo construir e o injusto construir vão acabar. O injusto respira o mesmo ar que o justo respira. Que vantagem há em ser justo ou injusto?

Por incrível que pareça, o mundo em que vivemos é injusto. Uma pequena minoria leva grandes vantagens sobre a imensa maioria. Existem mais pessoas pobres do que pessoas ricas, mais pessoas que sofrem por algum tipo de doença do que pessoas totalmente sãs. Enquanto uma pequena parte da sociedade vive uma vida cheia de regalias, existem muito mais pessoas tentando sobreviver às dificuldades da vida e circunstancias da realidade.

Aceitando ou não, o mundo está contaminado pelo o mal da injustiça, marcado pelo o desequilíbrio humano. Os injustos levam muito mais vantagens sobre os justos. O pior é que o pouco de justos que há é corrompido pelo o mal da injustiça.

Se a nossa vida se resume somente a este mundo, pobres e miseráveis humanos que somos. Esperança e fé para muitos é utopia, mas com toda a certeza este mundo não é digno dos justos, há de ter um lugar resevado para os que têm fome e sede de justiça, há de ter uma terra onde à paz e a justiça se abraçam e andam de mãos dadas. Sim, os justos não buscam levar vantagens neste mundo, porque eles não pertencem a este mundo e as coisas deste mundo não pertencem a eles.

Por este motivo, as boas novas do Reino Eterno e vindouro alimentam a esperança dos justos. Não há dinheiro, ouro ou poder que possa ser negociado com a certeza de viver uma vida integra respaldada com a verdade e com a justiça.

Nenhum comentário: