Total de visualizações de página

sábado, 2 de julho de 2011

ESPIRITUALIDADE SEM RELIGIOSIDADE, ou A ESPERANÇA DOS JUSTOS.

Por Giliardi Rodrigues

A esperança que repousa sobre a palavra dos profetas alimenta a fé no coração dos que buscam caminhar nos propósitos do Criador. Não há nada melhor do que ser servo do Reino da luz, não existe nada que pode ser comparado com a liberdade dos que foram chamados, justificados e separados para ser sal da terra e luz do mundo.

De certo que os caminhos dos justos parecem loucura neste mundo perdido e contaminado pelo o pecado. Mas nada, exatamente nada pode impedir os humildes de espírito herdar o mundo vindouro, os mansos se deleitarão na nova terra, os que choram serão consolados, os misericordiosos alcançarão plenitude de misericórdia, a paz repousará sobre a cabeça dos pacificadores e os que foram injustiçados serão recompensados cada um com seu galardão.

Tudo que se pode ver é perecível, tudo o que se pode tocar um dia deixará de existir. Por este motivo, nem olhos viram, nem ouvidos ouviram e nem penetrou em nenhum coração o que o Senhor Eterno tem reservado para os que amam. A eternidade é uma realidade na vida dos salvos, pois a fé não é medida por circunstâncias e não se firma naquilo que é imagem aparente.

Pela humildade e pela simplicidade se podem perceber e conhecer os propósitos da vida. A espiritualidade é desenvolvida através de atitudes e não meramente por conceitos teológicos ou por uma vida regrada a religiosidade. Embora se associe espiritualidade à religiosidade, uma coisa não está diretamente ligada à outra. Pois, uma pessoa pode ser religiosa sem necessariamente ser espiritual, como do contrário, desenvolver uma espiritualidade sem ser devoto ou praticante de alguma religião.

A bíblia ilustra muitos casos de pessoas que tiveram uma vida altamente espiritual sem ser praticante de nenhuma religião. A começar de Abraão, o grande Pai da fé que rompeu todos os conceitos do seu tempo a respeito de religião. Enquanto as pessoas buscavam em ídolos criados pela mente e por mãos humana, Abraão buscava apoiar sua fé no Deus invisível, não criado por homens, mas Criador dos homens e de todas as coisas.

Através da concepção monoteísta de Abraão que a bíblia foi escrita, através da sua descendência se formou um povo para ser luz para as nações, através deste povo que foi revelada a lei do Senhor, pela a linhagem de Abraão vieram os sacerdotes, os profetas, os reis e o Messias, através do Messias que a promessa de salvação chegou aos confins da terra.

Desenvolver a espiritualidade e a salvação é viver uma vida firmada na obediência a palavra do Eterno. Mesmo vivendo em um mundo onde o sistema é governado pelo o maligno, à esperança dos justos é antecipação do Reino Vindouro. Apesar dos homens ter criado a religião como um meio para se desenvolver a fé e a espiritualidade, o mais vale obedecer e seguir o Senhor Eterno do que as doutrinas e filosofias humanas.

A teologia, a filosofia e toda ciência é limitada em si mesma, muitas vezes cheias de contradições e não esclarecedoras da verdade. Mas a palavra do Senhor é Eterna, passarão os céus e a terra, nenhum ponto da palavra deixará de ter valor e de cumprir os propósitos pela qual foi designada.

A verdadeira espiritualidade não está apegada a nenhuma religião, mas a uma vida integra e firmada na verdade que o único caminho da salvação. Nisto se baseia a esperança dos justos, não neste mundo, mas no porvir da realidade – A Eternidade. 

Nenhum comentário: