Total de visualizações de página

quinta-feira, 21 de abril de 2011

A Eternidade e a imortalidade.

Por Giliardi Rodrigues

O homem foi feito para ser eterno, mas não imortal.

O homem foi criado e formado imagem e semelhança do Eterno, logo o homem também é eterno. Entretanto a vida é condicionada aos princípios que o Criador de todas as coisas estabeleceu.  A morte é apenas um estado transitório ou consequência dos atos de cada individuo.

“... A alma que pecar, essa morrerá" (Ez. 18:4).

As escrituras sagradas afirmam que todos pecaram. assim todos deverão experimentar a morte. A bíblia também diz que o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito do Senhor é a vida eterna. 

É importante destacar e entender que a morte não anula a eternidade, pois todas as pessoas que morreram um dia ressuscitarão. Evidentemente, que uns ressuscitarão para a gloria eterna e outros para condenação eterna. O apostolo João afirma categoricamente no livro de apocalipse que o Messias devorará a morte e a lançará no lago de fogo (Ap 20:14). 

Ao contrario do que muitas pessoas imaginam, o inferno e o lago de fogo são coisas distintas, pois a bíblia mesmo diz que o inferno será lançado no lago de fogo. Inferno significa Sheol que pode ser entendido como morte ou sepultura. Assim a morte será lançada no lago de fogo e deixará de ter poder sobre a vida.

O primeiro Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante. (1 Co 15:45)

Se o primeiro homem não tivesse pecado, certamente estaria vivo até hoje. Foi pelo o pecado de Adão que a morte entrou no mundo. O apostolo Paulo diz que da mesma forma que pela transgressão de um homem a morte entrou no mundo, pela a obediência plena de um homem a morte deve sair deste mundo.

Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, o Eterno os tornará a trazer com ele                  (1Ts 4:13- 14).

O texto é claro ao afirmar que a morte é como um estado de dormência, e que todos sem exceção voltarão à vida na vinda do Messias. Assim a esperança dos justos não se deve limitar somente a realidade desde mundo, mas a realidade do porvir. O homem neste mundo pode viver em media 80 anos, contudo essa vida não é nada comparada a eternidade e aquilo que o Senhor Eterno tem preparado para aqueles que o amam.



Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que o Eterno preparou para os que o amam. Mas Senhor no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas do Eterno. Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim, também, ninguém sabe as coisas do Senhor, senão o Espírito do Senhor. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém do Senhor, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Senhor.  (1 C0 2:9-12)




Um comentário:

JA ESTA COMSUMADO disse...

Giliarde muito boa sua postagem que o eterno te abençoe e te quarde, amém