Total de visualizações de página

domingo, 8 de agosto de 2010

A grande revelação do meio do fogo.

Por Giliardi Rodrigues


 

E vós vos chegastes, e vos pusestes ao pé do monte; e o monte ardia em fogo, até ao meio dos céus, e havia trevas, e nuvens e escuridão; Então o Senhor vos falou do meio do fogo: a voz das palavras ouvistes; porém, além da voz, não vistes semelhança nenhuma. Então vos anunciou ele o seu concerto, que vos prescreveu, os dez mandamentos, e os escreveu em duas tábuas de pedra. (Deuteronômio 4:11-13)

A única parte da bíblia que foi escrita com o próprio dedo de D'us foram os mandamentos. O Eterno chamou Moises e todo Israel e disse-lhes: Ouve, ó Israel, os estatutos e juízos que hoje vos ordeno; e aprendê-los-eis, e guardá-los-eis, para cumpri-los, Cara a cara o Senhor falou convosco, no monte, no meio do fogo.

Sem duvida esse dia foi um divisor de águas para toda a historia de Israel e para o destino da humanidade. O próprio de D'us apareceu ao povo em cima do monte Sinai, no meio de uma nuvem espessa, houve trovões e relâmpagos e um som muito forte de modo que todo o monte estremecia. Todo o monte fumegava, porque o próprio D'us descera sobre ele, em fogo e o seu calor se ascendeu e todo o monte ardia em fogo, mas não era consumido.

Essa foi uma experiência tão forte de modo que até os dias de hoje quando lemos a bíblia e tentamos descrever a entrega da Torá (Mandamentos) pessoas ficam arrepiadas e impactadas com esse acontecimento. O sobrenatural de D'us se revela ao natural do homem, unindo em si o mundo espiritual ao mundo físico.

Cinquenta dias após a páscoa e da saída de Israel das terras do Egito, acontece o primeiro Pentecostes ou Shavuot. O D'us Criador dos céus e da terra falou ao povo em voz de fogo e em setenta idiomas diferentes. Conta o Midrash que o Eterno falava e uma enorme chama de fogo ficava em cima do monte e se repartia em setenta chamas de fogo com vozes diferentes. Os mandamentos de D'us não eram somente e exclusivos para Israel, mas para toda a humanidade, por este motivo os mandamentos foram pronunciados e ortogados por D'us em todas as línguas das nações.

Israel como povo escolhido de D'us exerce um papel coorporativo diante de todas as nações da terra, os hebreus foram designados povo peculiar de propriedade exclusiva de D'us pelo o pacto da aliança de D'us com Abraão.

A revelação do Sinai condiciona não somente a Israel a obediência à lei de D'us, mas todas as pessoas que foram chamadas a salvação pela submissão a palavra de D'us. O D'us de Abraão, Isaque e Jacó não faz acepção de pessoas, pelo o contrário, ele quer todos alçassem a dádiva da graça, do amor e da justiça. D'us jamais proibiu estrangeiros na terra de Israel, ele sempre quis que os estrangeiros fossem bem recepcionados na Terra de Israel. No entanto a permanência e a herança da terra de Israel ao povo hebreu estava condicionada a obediência à lei de D'us.

Mas, se me não ouvirdes, e não fizerdes todos estes mandamentos, E se rejeitardes os meus estatutos, e a vossa alma se enfadar dos meus juízos, não cumprindo todos os meus mandamentos, para invalidar o meu concerto, Então eu, também, vos farei isto: Porei sobre vós terror, a tísica e a febre ardente, que consumam os olhos e atormentem a alma; e semeareis debalde a vossa semente, e os vossos inimigos a comerão. E porei a minha face contra vós, e sereis feridos diante dos vossos inimigos; e, os que vos aborrecerem de vós se assenhorearão, e fugireis sem ninguém vos perseguir. E, se ainda com estas coisas não me ouvirdes, então eu prosseguirei em castigar-vos, sete vezes mais, por causa dos vossos pecados.[...] Estes são os estatutos, e os juízos, e as leis que deu o Senhor entre si e os filhos de Israel, no monte Sinai, pela mão de Moisés. (Levítico 26:14-28 / 26:46)

A benção e a maldição estava diante do povo, a lei é um divisor do que é certo e do que é errado. O apostolo Paulo diz que sem a lei o homem jamais saberia o que é pecado, pois o pecado é resultante da desobediência à lei de D'us. Da mesma forma sem lei o homem jamais poderia conhecer a D'us, pois pela obediência foi que os patriarcas e os profetas foram chamados justos.

Estes são os mandamentos que o Eterno escreveu nas tabuas de safira e pronunciou no meio do fogo em setenta idiomas diferentes no monte Sinai ao profeta Moisés:

1 - Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim.

2 - Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam, e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.

3 - Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente aquele que tomar o seu nome em vão.

4 - Lembra-te do dia do sábado, para santificá-lo. Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho; mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou; por isso o Senhor abençoou o dia do sábado, e o santificou.

5 - Honra o teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.

6 - Não matarás.

7 - Não adulterarás.

8 - Não furtarás.

9 - Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

10 - Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.

Nenhum comentário: