Total de visualizações de página

sábado, 27 de março de 2010

A letra assassina



Por Giliardi Rodrigues
[...] porque a letra mata, e o espírito vivifica. (2 Coríntios 3:6)

Para muitos cristãos estudar é pecado, eles têm despautério de acreditar que quanto mais ignorante a pessoa for, mais a pessoa poderá ser usada por D'us. Alguns chegam ao ponto de desprezar a bíblia e dizer que devemos viver somente pelo o Espírito. Os adeptos destes movimentos se apegam a um versículo para criar esta doutrina e fundar o “Ministério da burrice”.
É de supra importância salientar que quem escreveu este versículo foi o apostolo Paulo, um homem que passou a maior parte de sua vida estudando as escrituras, foi aluno de um dos maiores sábios de sua época (Rabi Gamaliel), Paulo era um homem culto, poliglota e letrado em conhecimentos.
A bíblia é um livro cheio de mistérios históricos e proféticos, por esse motivo, temos que investigar, buscar, aprofundar, averiguar e pesquisar. D'us mesmo disse que o homem perece por falta de conhecimentos a respeito das escrituras sagradas, Jesus também disse que muitos erram por não conhecer as escrituras e nem o poder de D'us.
Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição. Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza; Antes, crescei na graça e conhecimento do nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade! Amén.                         (2 Pedro 3:16-18)
Paulo era uma pessoa sensata, equilibrada e sabia muito bem o que falava, mas estes indoutos torcem a palavra do apostolo colocando ele em contradição. Afinal, como pode uma pessoa falar que a letra mata e depois dizer que todas as escrituras foram divinamente inspiradas por D'us e apta para ensinar, corrigir e redarguir?
Ora, o contexto é claro, Paulo não estava falando contra os estudos, mas tentando explicar o verdadeiro sentido da lei de D'us.
Se a lei revelada a Moises foi escrita em tabuas de pedras veio em grande poder e gloria, quanto mais o ministério do Espírito de D'us que agora coloca o entendimento dos princípios da lei dentro dos nossos corações. Agora no Messias temos a compreensão e a revelação que a literalidade da letra da lei mata, no entanto através do Espírito Santo temos o entendimento dos princípios da lei por meio da obediência à palavra de D'us.
Em nenhum momento Paulo fala contra a lei de D'us e nem contra o estudo das escrituras. Paulo está dizendo que a lei gravada em tabuas de pedras tem grande valor, desde que seja obedecida com o entendimento do Espírito de D'us.
Pecado é viver na ignorância, na obscuridade e no seu próprio entendimento, a bíblia diz que devemos examinar as escrituras, porque nela está a vida eterna. A palavra de D'us nunca cegou e nem matou ninguém, a palavra de D'us é vida, crescer na graça e no entendimento é buscar unção e conhecimento da palavra de D'us através do Espírito Santo.
Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. (Hebreus 4:9)
A letra assassina que não tem e não busca compreenção da palavra de D'us, nunca uma pessoa que procura crescer nas escrituras será morta por isso, muitos cristãos se perdem nas escrituras porque tentam interpreta-la segundo conceitos filosóficos, dogmáticos, religiosos e teológicos. A bíblia é um livro cheio de mistérios e por este motivo temos que buscar em D'us e não nos homens o pleno entendimento das escrituras.
Viver no espírito não é viver sem sentido ou com pensamentos alheios a palavra de D'us, viver no espírito significa viver em obediência a palavra de D'us, mas para viver em obediência temos que primeiramente sermos bons conhecedores e manejadores das escrituras sagradas.

Nenhum comentário: