Total de visualizações de página

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Fé real é racional e relacional

Por Giliardi Rodrigues

A fé é um assunto de debate em quase todas as áreas que envolvem o ser humano, seja no campo religioso ou secular. Fé muitas das vezes esta relacionada à questão de acreditar ou não acreditar em algo que seja real ou irreal. De uma forma ou de outra, todo ser humano tem fé em alguma coisa, seja ela física ou espiritual.

Existem pessoas que não acreditam na existência de Deus, mas acreditam, por exemplo, na filosofia ou na ciência, para este tipo de pessoa tudo tem que ser comprovado e passar pelo o crivo existencial da experiência científica. Por outro lado existem pessoas que apóiam a sua fé na existência de Deus pela a religião sendo o único caminho que leva o homem a Deus.

O fanatismo e o fundamentalismo religioso se baseiam na idéia que somente uma religião ou um partido é certo ou mais correto do que os outros, esse já foi e ainda é o motivo de muitas guerras e conflitos entre religiosos e políticos. No outro extremo podemos encontrar pessoas que não querem saber de religião alguma, pois não encontram respostas para a vida no credo religioso. De fato há ateus que não crêem em Deus, como também existem ateus que são anti-religiosos, alguns até não duvidam da existência de Deus, mas por não estarem inseridos em nenhuma religião questionam a razão da fé.

O que é fé e porque o homem precisa da fé para viver?

Segundo o pensamento bíblico fé é um firme fundamento das coisas que não podem ser vistas, mas a convicção de que elas são reais. Portanto, fé não é pensamento positivo ou crença em isso ou aquilo, o fato de uma pessoa acreditar ou não acreditar em algo, não prova e nem deixa de comprovar a sua existência.

Fé em hebraico é “emunah” que pode ser traduzido como fidelidade. A pessoa que diz ter fé em algo, de alguma maneira ela é fiel naquilo que acredita. Caso contrário isso não pode ser entendido como fé.

Desde os tempos mais antigos o homem vem buscando encontrar solução e respostas para as razões da vida, muitos buscam na religião, na ciência, na filosofia, na política, nas artes e nas mais diversas e variadas utopias. Cada seu humano é fiel naquilo que ele acredita, seja qual for a sua formação religiosa ou secular.

Acreditar ou não acreditar em Deus não é uma fator relevante para confirmar a sua existência. No contexto da bíblia fé não é apenas acreditar. O apostolo Tiago diz que acreditar em Deus todo mundo pode fazer, pois até mesmo o diabo acredita. O fato de a pessoa acreditar na existência de Deus ou do diabo não vai mudar muita coisa para o mundo, a não ser para ela mesma.

O fato é: “O homem precisa de fé para existir, a existência humana esta totalmente ligada à razão pela qual ele vive”.

Fé (fidelidade) só existe onde há relacionamento. Relacionar é aproximar-se e se envolver com algo ou com alguém. A fé é um fenômeno racional, real e relacional pelo qual o homem estabelece conexão com alguma coisa.

O ídolo está muito além da estatueta, do objeto ou símbolo de culto. A idolatria não é simplesmente prostrar-se diante de uma imagem. O idólatra é alguém que reduz toda grandeza do Criador a um dos aspectos de sua criação. Quando um homem trabalha e dedica energia para ter riquezas, ele está de alguma forma, lançando sua fé e dedicando seu esforço em algo que ele entende ser a fonte de toda a realidade. Quando um cientista acredita que a ciência tem sempre a resposta para tudo e a solução para todas as coisas, ele confia, lança sua fé no conhecimento científico. Por outro lado, o trabalho, a ciência, a arte, a política, as riquezas, o poder e a natureza são aspectos que fazem parte da criação de Deus.[i]

A fidelidade de alguém a algo em especifico se baseia na experiência do contato real. A torá diz que Abraão (Avraham) é o pai da fé, ele foi o primeiro homem a conceber a idéia de monoteísmo de um único D'us. A sua fé se firmava no contato do Criador com a criatura, Abraão experimentou de um pacto real com o D'us que criou todas as coisas.

Abraão foi encontrado por D'us em um lugar onde as pessoas tinham a fé nas mais diversas e variadas coisas. Os homens buscavam respostas na natureza, nas religiões, nas ciências, nos deuses, na astrologia e na astronomia. Abraão sabia que a resposta que o homem buscava para preencher o vazio existencial não estava nas coisas e sim no D'us que criou todas as coisas. Enquanto os homens buscavam se relacionar com a ciência humana e ser fiel a ela reduzindo a complexidade da criação há um fator ou uma área especifica, Abraão sabia que a resposta estava na razão da fidelidade.

A fé da Abraão rompeu todos os conceitos de sua época e de todos os tempos, enquanto os homens se relacionavam e eram fieis aquilo que era visível, tangível, palpável e terreno, Abraão se relacionava com o D'us invisível e transcendente, a prova da existência de D'us para Abraão era o pacto que D'us tinha feito com ele, D'us chamou Abraão e disse sai da tua terra e da tua parentela e vai para a terra que te mostrarei e far-te-ei uma grande nação e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome e tu serás uma bênção. (Ex 12:1-2).

Ora, sabemos que Abraão já era velho e sua esposa avançados em idade, ambos não podiam mais ter filhos, mas D'us promete fazer de Abraão uma grande nação. A prova cabal que o D'us de Abraão é real e verdadeiro, é a existência da nação de Israel e do povo judeu. Se eles existem é porque D'us é verdadeiro e cumpriu as suas promessas feitas ao Pai da fé. A fidelidade de Abraão a D'us que Criou todas as coisas não era imaginação e nem fruto de uma possível loucura. Se Israel que é uma nação pequena, que já sofreu e foi perseguida ao longo dos milênios por nações poderosas e sobreviveu e permanece até os dias de hoje, é porque o D'us de Abraão existe e mantém fiel a sua palavra.

A fé de Abraão foi tão real que é à base das três maiores religiões do mundo (Judaísmo, islamismo e cristianismo). Hoje são mais de 4 000.000.000 (quatro bilhões) de pessoas que são abençoadas pela a fidelidade de um homem a um único D'us. Eu tenho convicção que se Abraão estivesse vivo hoje talvez ele não incentivaria o homem buscar a D'us pela religião e sim pela a experiência da fé pessoal e relacional.



[i] Igor Miguel 2009- A Igreja evangélica Brasileira em Crise: Uma resposta judaico-cristã – fonte: http://www.ensinandodesiao.org.br/pdf/igreja_evangelica_crise.pdf).

Nenhum comentário: