Total de visualizações de página

terça-feira, 2 de junho de 2009

Se Jesus não veio para abolir a lei e Paulo era zeloso na lei de D'us, quem foi que aboliu a lei?

Por Giliardi Rodrigues

Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, ma’s cumprir. Porque, em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido. (Mateus 5:17-18).

Muitas pessoas dizem que Jesus cumpriu toda a lei e por isso ela foi abolida e não deve ser mais observada. O próprio Jesus disse que não veio abolir a lei dos mandamentos e nem dos profetas, e que não passaria um só ponto da lei que sem antes o céu e a terra passassem e que tudo fosse cumprido.

E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom. (Romanos 7:12).

Outras pessoas se baseiam nas cartas de Paulo para dizer que a lei era maldita, que a lei é um preceito da velha aliança e que não devemos mais guardar a lei, pois esta serviu de aio para a nova aliança e que havia se tornada antiquada.

Mas como o apostolo Paulo pode dizer todas essas coisas e ao mesmo tempo dizer que a lei é santa, justa e boa?

A bíblia é a palavra de D'us e toda a escritura foi inspirada por ele e não contém contradições. Fazendo um analise destas passagens na bíblia onde textos chocam um com o outro a nossa tendência é aceitar a passagem que mais nos convém, pelo o simples fato de não termos um entendimento amplo e completo do contexto relatado a respeito deste assunto.

Antes de tudo é importante lembrar que quem salva o homem do mundo do pecado é a graça de D'us, e é o sangue de Jesus derramado na cruz que perdoa nossos pecados, a obediência a lei nos conduz a um caminho de santidade na presença de D'us.

Ninguém jamais e em tempo algum foi salvo pela a lei, pois esta não tem o papel de salvar ninguém, nem mesmo Moises e os profetas foram salvos pela a lei, antes pela a graça de D'us, pois toda a lei e os profetas apontavam para o Messias. Todos foram salvos pela a fé e a esperança na vinda do Messias, eles sabiam que somente o Messias poderia resgatar o homem do pecado e conduzi-lo a D'us.

Porque Moisés disse: O Senhor, vosso Deus, levantará, de entre os vossos irmãos, um profeta, semelhante a mim; a ele ouvireis, em tudo quanto vos disser. E acontecerá que toda a alma que não escutar esse profeta será exterminada de entre o povo. E todos os profetas, desde Samuel, todos quantos depois falaram, também anunciaram estes dias. (Atos 3:22:24) – “O Senhor, teu Deus, te despertará um profeta do meio de ti, dos teus irmãos, como eu; a ele ouvireis.(deuteronômio 18:15).

Se Jesus disse que não veio abolir a lei e Paulo estar dizendo que a lei é santa, justa e boa ambos foram judeus zelosos pelas as escrituras e andavam segundo a lei de D'us. Então quem foi que anulou a lei? Vou citar alguns dos versículos mais usados para dizer que a lei foi abolida e simplesmente um preceito da velha aliança.

Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê. (Romanos 10:4).

Toda a lei e os profetas apontavam para a salvação através do messias, conclui-se então que o fim da lei e os profetas se cumprem na pessoa de Cristo. A finalidade de toda escritura é revelar a Pessoa do Messias, portanto aqui se trata de fim de finalidade e não fim de final, pois a finalidade da lei é Cristo.

O fato de Jesus ter cumprido a lei, não isenta o crente de obedecer à lei de D'us. Ele cumpriu a lei para que todos aqueles que nele crerem possam também andar em obediência a palavra de D'us. Em tudo Jesus procurou obedecer e agradar ao Pai e também disse que todos aqueles que o ama também guarda os mandamentos de D'us.

"Guardais dias, meses e tempos, e anos. Receio de vós tenha eu trabalhado em vão para convosco" (Gálatas 4.10-11).

Este é um texto bastante conhecido para dizer que a lei é transitória e não tem mais valor. Paulo escreveu a carta de gálatas para os gentios da igreja da Galácia. Em nenhum momento o apostolo esta fazendo referência ao calendário dos judeus e a lei de Moises. O povo da Galácia era de origem idolatra e pagã, eles adoravam astros como o sol e a lua, era um povo contaminado pelo o misticismo dos corpos celestes, sinais do zodíaco, e espíritos cósmicos. O contexto está dizendo que os gentios estavam voltando aos rudimentos fracos da idolatria e do paganismo, e Paulo esta chamando a atenção para que eles não voltassem a fazer isso, pois estava com receio de ter trabalhado em vão.

Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, Proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos manjares que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças; Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças, Porque pela palavra de Deus e pela oração é santificada.(I Timóteo 4:1-5).

Este também é um texto que não pode ser aplicado para dizer que a lei foi abolida, pois o apostolo Paulo esta categoricamente dando instruções a Timóteo e combatendo o gnosticismo.

Grandes partes dos gentios que se converteram a doutrinas dos apóstolos tiveram origem no esoterismo do gnosticismo. A lei de D'us não é doutrina de demônios, também não proíbe o casamento e tão pouco ordena abstinência dos alimentos que o próprio D'us criou. Os gnósticos acreditavam que o sexo alimentava a carne causando assim um problema para o crescimento espiritual, por isso proibiam o casamento.

Paulo não está combatendo a lei de Moises, pelo o contrário, ele estar combatendo a doutrina do vegetarianismo dos gnósticos. Ele esta dizendo conforme levitico cap 11, que tudo o que D'us fez por alimento se pode comer.

Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados. - Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo. (colossenses 2:16)

Os crentes de colosso haviam se convertido a doutrina dos apóstolos através do trabalho missionário de Paulo. O que esse texto mostra é que os colossenses estavam celebrando os costumes da fé judaica. Eles estavam comendo e bebendo segundo as leis alimentares do judaísmo, também estavam celebrando as festas bíblicas e guardando os sábados.

Porem os não crentes estava julgando os colossenses convertidos por tal atitude. O apostolo Paulo esta dizendo aos colossenses crentes que continuasse celebrando as festas bíblicas e guardando os sábados e que não deixasse ninguém os julgar por causa disso.

Sabemos que as festas bíblicas, os sábados e toda a lei é sombra de algo perfeito que é Cristo. Sombra é imagem de algo real, sombra não é algo ruim e tão pouco algo sem valor. Toda a escritura e os costumes bíblicos é sombra da revelação da pessoa de Jesus Cristo.

Todos aqueles, pois, que são das obras da lei, estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. E é evidente que, pela lei, ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Ora, a lei não é da fé; mas, o homem que fizer estas coisas, por eles viverá. Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro… De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. (Gl 3:10 -13 e 24).

A bíblia diz que ninguém é salvo e nem justificado por obras, pois o justo é justificado e vive pela a fé da palavra de D'us. Nem mesmo Abrão e Moises foram salvos pela lei, antes pela a graça e misericórdia de D'us derramada sobre a vida deles, porque se a lei diz não matarás e Moises matou logo ele seria condenado pela sua própria lei. Se Abraão conhecia a lei de D'us e sabia que não poderia mentir e mentiu logo o mesmo seria condenado pela a lei de D'us.

“Ninguém é salvo pelas as obras da lei, mas as salvo pratica boas obras”.

O apostolo Tiago diz que a fé sem obras é morta e que pelo o tamanho das obras é que conhecemos a fé de cada um (Tg 2:14-26) - Onde está, logo, a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé. Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, sem as obras da lei. É, porventura, Deus somente dos judeus? E não o é também, dos gentios? Também dos gentios, certamente; Se Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão. Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei. (Rm 3:27-31).

Jesus de fato nos tirou da maldição da lei, e qual é a maldição da lei? É o pecado! É a desobediência a palavra de D'us. Embora Jesus não tendo pecado ele se fez maldito pelo os nossos pecados. Ele levou sobre si as nossas dores, as nossas aflições e os nossos pecados.

A lei serviu de aio para revelar a Cristo, agora sabemos que todo aquele que lava a suas vestiduras no sangue do cordeiro tem seus pecados perdoados, portanto a “lei do pecado” que estava sobre nós foi anulada no sacrifício de Jesus, portanto andamos agora em obediência a lei de D'us revelada a Moises, testificada por Jesus, ensinada pelos os discípulos e apóstolos e confirmada por Paulo como santa, justa e boa (Rm 7:12).

Pois quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei... Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa de sua fraqueza e inutilidade. (Hb 7.12 e 18).

O livro de hebreus foi escrito para explicar o sacerdócio de Jesus e a mudança desta mesma lei para uma aliança superior. A mudança da lei do sacerdócio não tem relação com a lei de D'us revelada no Sinai a Moises, pois a lei do sacerdócio é anterior a lei do Sinai.

Jesus para se o messias teria que desempenhar o papel de Rei, profeta e sacerdote. Para ser Rei ele teria que ser da linhagem de Davi e da tribo de Judá, Jesus cumpre esse requisito (Rm 1:3, Mt 1:1-2). Para ser profeta ele tinha que ser cheio do Espírito Santo e poderia ser de qualquer tribo, Jesus também cumpre esse requisito (Lc 4:18, Mt 21:11). Para ser sacerdote ele tinha que ser da linhagem de Arão e filho de pai sacerdote. Eis aqui o motivo e a razão pela qual a carta de Hebreus foi escrita.

A carta aos hebreus foi escrita para explicar aos judeus a questão do sacerdócio de Jesus. Sabemos que os sacerdotes judeus só poderiam ser da tribo de Levi e da linhagem de Aarão. Mas Jesus era da linhagem de Judá, portanto segundo a tradição judaica Jesus não poderia jamais ser sacerdote. Porém Melquisedeque não era da linhagem de Arão e nem da tribo de Judá e exerceu a função de rei e sacerdote do D'us altíssimo.

Conseqüentemente se Melquisedeque era rei e sacerdote do D'us Altíssimo e não tinha linhagem e nem genealogia (Hb 7:3), ele exerce um papel superior aos filhos de Arão e dos descendentes de Judá. Jesus é sacerdote pela a mesma ordem que Melquisedeque (Ordem Superior). Jesus é antes da fundação do mundo e anterior a Melquisedeque, portanto ele é Sacerdote Eterno (Sl 110:4/Hb 5:10).

Aquele que tem os meus mandamentos, e os guarda, esse é o que me ama; e, aquele que me ama, será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele. (Jo 14:21)

Partindo do ponto que quando Jesus disse isso, ainda não existia o novo testamento, a quais mandamentos Jesus estava se referindo? É claro é evidente que estava se referindo ao antigo testamento!

Eu sei que muitos vão dizer que Jesus resumiu todos os mandamentos em amar a D'us sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. É verdade! Mas o fato dele resumir anula os outros mandamentos?

Amados, amar a D'us sobre todas as coisas e ao próximo não é um mandamento novo, isso já estava escrito (Dt 6:5 e Lv 19:18), Jesus estava falando que o principio da lei é o amor. Ou alguém acha que quem ama a D'us pode servi um outro D'us e ser idolatra? Alguém que ama sua esposa tem prazer no adultério com outra pessoa? Quem ama seu amigo mente para ele? Quem ama a si mesmo deseja o seu próprio mal?

Servi a D'us é ser livre para amar, Jesus nos libertou do pecado para vivermos em obediência a palavra de D'us. Quem ama o pai, também ama o filho, quem ama o filho, também ama seu próximo e que ama o próximo também ama a si mesmo.

Obediência não é fardo e peso para ninguém. Fardo é a culpa e o pecado, Jesus ensinou que obediência é tudo na vida de um salvo.

6 comentários:

A Bíblia Fala disse...

Concordo com o seu texto. É a pura verdade bíblica. Como seria muito bom se o mundo evangélico acordasse para esta verdade bíblica. Abração.

Silvio Koerich disse...

INteressant teu blog parceiro.

REalmente está difícil de encontrar homens de bem e conservadores no mundo

Estou pensando em seguir teu blog

Anônimo disse...

Importantissimo o que vc explicou! O mundo evangelico acredita duramente que toda e qualquer coisa relacionada com "Lei" foi abolida. Se seguirmos essa linha de raciocinio, rasguemos de nossa Bíblia o AT. Tudo é um conjundo de coisas, onde, justificados pela Fé em Jeses Cristo, salvos pelo sangue derramado na Cruz e firmes na volta do Rei, que abilitamo-nos a seguir a Lei de Deus, os seus mandamentos. Isso é comportamento cristão, dos que seguem a Cristo. Te custa algo? Não! Não são penosos... e, segundo João, quem ama a Deus, segue seus mandamentos. Quando nos deleitarmos nos seu ditames, então sim estaremos sendo autenticos cristãos! A Paz do Senhor! (ramonkruger@hotmail.com)

Anônimo disse...

d+ , parabens
tirou muitas duvidas minhas
vlw

Anônimo disse...

Muito bom esse Texto....


Acessem : http://www.torahweb.net/lei-de-moises-f1/a-lei-nunca-foi-um-caminho-para-a-salvacao-t488-270.htm#5658

Lá abordamos sobre esse assunto.

Felipe disse...

Deus no fundo nunca quis que houvesse o sacerdócio Levítico vc sabia disso?

Paulo diz que o pecado não tem mais domínio sobre nós, pq não estamos debaixo da lei e sim da graça.

Porém se vc diz que o pecado ainda tem domínio sobre vc, vc está debaixo da lei e não da graça simples assim!

Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.

1 João 3:9.