Total de visualizações de página

terça-feira, 14 de abril de 2009

TALMUDE E JESUS


por Paulo Dias

Os seguintes passos, em geral do Talmude, são paralelos no evangelho e nos livros judaicos, sobretudo nos caps. 5-7 de Mateus:

Amai os vossos inimigos e fazei bem aos que vos odeiam (Mt 5). Se teu inimigo tiver fome, dá-lhe pão; se tiver sede, água (Provérbios 25,21-2).

Quem tem misericórdia de seus semelhantes alcança misericórdia no céu (Sabat, 151b). Sede misericordiosos, como vosso Pai é misericordioso (Lc). Assim como D'us é misericordioso e bom, fazei vós (Sabat, 336).

Quando derdes vossa esmola, dai em segredo (Mt). Quem dá esmolas publicamente, é pecador (Sabat, 104a).

Não passará um jota ou til da Lei sem que tudo seja cumprido (Mt). Nem todos os homens unidos poderiam riscar da Lei um jota sequer (Rabbah 5,2).

Quando um homem olha cobiçosamente uma mulher, em seu coração já cometeu adultério (Mt). Quando um homem tenciona pecar, é como se já tivesse pecado contra D'us (Rabbah 8,5).

Se amardes apenas os vossos irmãos, que fazeis de bom? (Mt). Quando desonras um teu irmão de outra raça, desonras o filho de tua mãe (Rabbah 6,9).

Quem fizer mal a seu semelhante, arderá no fogo eterno (Mt). E' preferível lançar-se vivo numa fornalha do que fazer mal a seu semelhante (Baba Mezia, 586).

Seja o vosso falar, sim sim; não não (Mt). Seja sim o teu sim, seja não o teu não (Baba Mezia, 49a). Pensamentos imorais são piores do que atos imorais (Yoma 29a).

Perdoai para serdes perdoados (Mt). Quem perdoa é perdoado (Yoma 23a).

Orai em segredo, e sem multiplicar palavras (Mt). Não repitais palavras em vossa prece; todo ardil que distrai a atenção de D'us tira da prece o seu valor (Yoma 19b).

Quem for tolerante, generoso e não buscar os seus direitos com arrogância, terá o perdão de seus pecados (Yoma 23a).

Não julgues adúltero o que peca por atos; igualmente adúltero é o cobiçoso que apenas olha (Pesikta Rabati, 1246).

Quem é forte? Quem faz do inimigo um amigo (Avot, R.Natan, 23-4).

O homem que pratica meus ensinos é como quem construi sua casa sobre a rocha, vem a chuva e não derruba esta casa (Mt 7). O homem que pratica o bem e estuda a Lei é como alguém que construi sua casa com alicerces de pedra e cobertura de telhas, de modo que a casa não sofre, mesmo com enchente. Mas quem pratica o mal, ainda que estude a Lei, é como quem levanta a casa com alicerces de telha e telhado de pedra: ao menor chuvisco, a casa desmorona (Avot, R.Natan, 23-4).

Dai vossa esmola em segredo tal que não saiba a vossa mão esquerda o que faz a direita (Mt). A esmola deve ser dada em segredo (Baba Bathra, 9b). Não humilhes o pobre socorrendo-o publicamente (Chagiga, 5a).

Orai em segredo (Mt). A prece deve ser silenciosa (Sota, 326). Rabi Yochanan ensinou, se alguém orar continuamente, julgando que assim D'us o ouve, reza em vão (Berachot 326). Demorar-se em preces prolongadas, ou rezar algumas palavras apenas, não faz diferença se o coração está voltado ao céu (Berachot 56).

A cada dia basta o seu mal (Mt). Basta a preocupação de cada hora (Berachot 9b). Ajuntai tesouros no céu, onde as traças não comem (Mt). Um rei doou todos os seus bens aos pobres; quando o censuraram, disse, os meus avós amontoaram tesouros na terra, eu acumulo no céu; eles os amontoaram onde um homem pode tomá-los, eu acumulo onde ninguém lhes deitará mão; eles amontoaram para este mundo, eu acumulo para o mundo vindouro (Talmud Yerushalmi, Peah, 1,15b).

Olhai os lírios do campo, não trabalham nem semeiam, mas nem Salomão em toda a sua glória se vestiu como eles (Mt). Rabi Simeon ben Eliazar ensinou, nunca vi gazela guardar figos, nem leão carregar um fardo, nem raposa abrir loja, no entanto são alimentados, sem preocupações nem fadigas. Se essas criaturas, criadas apenas para servir ao homem, são assim alimentadas, com mais razão devo ter a esperança de receber o meu pão de cada dia sem preocupações ou canseira, porque fui criado para servir a D'us (Kiddushin 826). Não te preocupes com o dia de amanhã, pois não sabes o que a manhã seguinte vai te trazer (Sanhedrim 10b).

Não julgueis, para não serdes julgados, pois com a medida que usardes, sereis medidos (Mt). Não julgues o teu próximo, sem te colocares no lugar dele (Avot, R. Hilel 2,5).

O homem será medido com a medida que usar para medir os outros (Mishna Sota 1,7).

Antes de tirardes o argueiro do olho do teu irmão, retirai a trave do vosso (Mt). Disse o rabi Tarfon, um homem diz ao companheiro, tira o argueiro dos teus olhos; o outro replica, tira primeiro a trave dos teus (Erachim 16,b).

«Jesus era judeu em tudo que fazia e pensava. Como israelita fervoroso, observou todos os mandamentos, considerou Elohim como seu pai celestial, teve piedade do pobre. Apoiou a quem tropeça no caminho; e amou a quem se arrepende: a este, nem mesmo um justo perfeito tem o direito de tomar o lugar, segundo a palavra do Talmude. Ele tem igualmente o defeito caracterial do judeu: nunca repara na grandeza e na beleza da natureza, e nunca sorri. Chorou, ameaçou e prometeu para ensinar... Jesus era o mais judeu de todos os judeus, mais judeu que o grande mestre Hillel». (Rabi Klausner).

Ademais o passo da Adúltera em Jo 8:3-11, no evangelho, exemplifica como nenhum outro o ensino de Jesus sobre a misericórdia. Conforme depoimento dos Pais da Igreja, este passo foi recolhido no folclore oral judaico da Espanha, ainda em tempos apostólicos cf. CHAMPLIN, O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo vol 3.

Ademais, Jesus nasceu como judeu, foi circuncidado como judeu, viveu como judeu, morreu como judeu e por causa de ser judeu; se tivesse nascido grego, ninguém ia achar esquisito o que ele disse; mas como era judeu, houve o preconceito fatal de Roma e mesmo de alguns judeus. Editou, Paulo Dias.

FONTES: Mishlei (Provérbios) 25,21-2; Sabat, 15b.336.104a; Rabbah 5,2.8,5.6,9; Baba Mezia, 586.49a; Yoma 29a.23a.19b.23a; Pesikta Rabati, 1246; Abot, R.Natan, 23-4; Baba Bathra, 9b; Chagiga, 5a; Sota, 326; Berachot 326.56.9b; Talmud Yerushalmi, Peah, 1,15b; Kiddushin 826; Sanhedrim 10b; Abot, R. Hilel 2,5; Mishna Sota 1,7; Erachim 16,b. Etc.

Nenhum comentário: