Total de visualizações de página

terça-feira, 14 de abril de 2009

Os Ensinamentos de Yeshua e os Ensinamentos dos Rabinos de Israel

- Quem os tomou de quem?

Autor: Rabi Moshe Imanuel ben Meir.
Artigo extraído de “Hatzofeh” – “O Atalaia” – nº 96 –1937.
Tradução do original hebraico: Erike Couto Lourenço.

“Yeshua, o Nazareno, não ensinou coisas novas; todos os belos provérbios que ele usava não provinham dele. Todas as palavras de moral que ensinava não eram dele. Ele bebeu toda sua inovação dos ensinos rabínicos.” Opiniões como esta são as difundidas nos meios judaicos, e que freqüentemente os propagadores das Boas Novas de Yeshua o Messias se deparam com ela freqüentemente. Realmente, não se pode ignorar o fato de que a doutrina do “Nazareno” compartilha do perfume que há na doutrina dos Sábios do Talmude. Um verdadeiro pesquisador não irá retroceder ante a tais fatos firmes, mas irá agarrá-los com as mãos no instante em que estes fatos objetam todas as suas compreensões anteriores.

Nas próximas linhas, serão comparadas as proclamações do “Nazareno” e as proclamações de diferentes rabinos, com seus respectivos nomes, bem como a época que viveram. Com isso, discutiremos quem poderia ter recebido de quem seus respectivos ensinamentos.

1. Rabi Gamaliel Barabi, disse: “todo aquele que se compadece pelas pessoas, haverá compaixão sobre ele desde os Céus; e todo aquele que não se compadece pelas pessoas, não virá sobre ele a compaixão desde os Céus.” (Talmude babilônico, Shabat 151a). Yeshua, o Nazareno, disse: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia.” (Mt 5;7). Estes dois ditos são semelhantes, sendo um longo e o outro curto. Quem foi o primeiro a ensinar ao mundo a importância da misericórdia e a sua grandeza? Sem dúvida que foi Yeshua, o Nazareno, que viveu quase duzentos anos antes de Rabi Gamaliel Barabi!.

2. Disse o Rabi Abahu: “Um homem deve sempre tentar ser [parte do grupo] dos perseguidos, e não [ser parte do grupo] dos perseguidores, já que não existe nenhuma dentre as aves mais perseguidos do que pombas e pombos, e ainda Escritura os [privilegiou] serem preparados sobre o altar1. (Talmude Babilônico, Bavá Qamá 93a). Disse Yeshua o Nazareno: “Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.” (Mt 5:10). Yeshua precedeu a Abahu em 300 anos; por isso não há como argumentar que ele extraiu suas palavras de Rabi Abahu.

3. Resh Lakish disse: “Todo [aquele que] estende a mão contra seu companheiro se chama iníquo”2. Yeshua disse: “Eu, porém, vos digo que todo aquele que se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo;” (Mt 5:22). Entre estes dois princípios há uma similaridade interna e não exterior. Há entre eles uma relação sinalizando que os dois procederam de uma única origem. Qual é a origem? Yeshua, o Nazareno, já que Resh Lakish não nascera a não ser quase 180 anos depois de Yeshua, o Messias.

4. Disse Rabi Yossi, em [nome de] Rabi Yehudá: “Será, pois, teu sim justiça e o teu não justiça!”, Abaiê disse: “que não fale uma coisa no coração e outra pela boca” (Baba Metsiá 49a). Yeshua, o Nazareno, disse: “Seja, pois, teu falar sim sim e não não” (Mt 5:37). Rabi Yossi e Abaiê ensinaram sua doutrina 250 anos depois de Yeshua.

5. Raba disse: “Todo [aquele] que perdoa as suas retaliações, são perdoados todos os seus pecados” (Derech Eretz Zutá 8). Yeshua, o Nazareno, disse: “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;” (Mt 6:14) – quase 300 anos antes de Raba.Lv 1;14: “E se a sua oferta ao Eterno for holocausto de aves, oferecerá a sua oferta de rola ou de pombinhos;” 2 Talmude Babilônico, Sanhedrin 58b

6. Ensinava Rabi Shimeon bar Eliezer: “Vistes dentre teus dias animais e aves que possuem criadores e eis que se alimentam estes seres e não vivem em sofrimento, e não foram criados a não ser para nós os usemos? E eu, que fui criado para se utilizar da criação, não terei minhas necessidades, pois, saciadas e não serei livrado de aflições”? (Talmude Babilônico, Kidushin 82a). Yeshua, o Nazareno, ensinou: “Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas?” (Mt 6:26). Yeshua ensinou este princípio 200 anos antes do Rabi Shimeon bar Eliezer.

7. Rabi Eliezer disse: “Todo aquele que tem uma fatia de pão no seu cesto e diz: que comerei amanhã? Este é o que possui um ato digno dos pequenos de fé” (Talmude Babilônico, Sotá 48b). Yeshua, o Nazareno, cem anos antes do grande Rabi Eliezer, tinha dito: “Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? [...] Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” (Mt 6:31;34).

8. Rabi Meir tinha dito: “Na medida em que um homem mede lhe medirão.” (Sanhedrin 2b). Yeshua, o Nazareno, dizia: “Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós.” (Mt 7:2). Rabi Meir viveu e exerceu [seu ministério] quase que 130 anos depois de Yeshua, o Messias.

9. Palavras do Rabi Yochanan, filho de Nafcha: “Diz-lhe: lança o argueiro de entre os teus olhos; diz-lhe: Lança a trave de entre os teus olhos” (Talmude Babilônico, Baba Batra 15b). As palavras de Yeshua, o Nazareno, 180 anos antes do Rabi Yochanan: “E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho?” (Mt 7:3).

10. Ensinou Elisha ben Abuyá: “um homem que tem boas obras e ensina muito a Torá, a quem ele se assemelha? Ao homem que constrói pedras em baixo e depois tijolos; e, vindo muitas águas e irem de encontro a elas, não as mudam de lugar. E um homem que não tem boas obras e estuda a Torá, a quem ele se assemelha? A um homem que construiu inicialmente [com] tijolos e depois [pôs] as pedras; e, vindo então muitas águas correntes, de repente as despedaça [as pedras e os tijolos]” (Pirkêi de-Rabi Natan 24;1-2). Yeshua, o Nazareno, ensinou, quase 200 anos antes de Ben-Abuyá: “E aquele que ouve estas minhas palavras e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda” (Mt 7;26-27).

11. Disse o Rabi Shimeon ben Gamaliel: “não é o estudo o fundamental, mas a prática” (Talmude Babilônico, Avôt 1;7). 100 anos antes deste disse Yeshua: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” (Mt 7;21).

12. Rabi Tarfon disse: “hoje [o dia está] curto e muita é a obra, e os que trabalham são preguiçosos e o galardão é muito e o dono da casa está necessitado”. Yeshua, o Nazareno, 100 anos antes de Rabi Tarfon, disse: “Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os obreiros” (Mt 9;37).

13. Rabi Shmuel haKatan, disse aos seus discípulos: “da forma como ensinei [diligentemente] ante vós de graça, do mesmo modo ensinareis [diligentemente] de graça”. 200 anos antes dele, disse Yeshua, o Nazareno, aos seus discípulos: “de graça o recebestes, de graça o daí” (Mt 10;8b).

14. Ensinava Rabi Yirmeyah: “todo aquele que humilha a si próprio por causa das palavras da Torá neste mundo, será engrandecido no mundo vindouro; e todo [aquele que] se coloca como um servo, por causa das palavras da Torá, neste mundo, será feito livre no mundo vindouro” (Talmude Babilônico, Bavá Metziá, 85b). Ensinou Yeshua, o Nazareno, 200 anos antes daquele: “Porque o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mt 23;12).

15. Yochanan, em [nome de] Rabi Yosef pôs [em questão]: “o Shabat foi entregue em vossas mãos, e nãos vós entregues a ele [ao Shabat]” (Talmude Babilônico, Yomá, 85b). Yeshua, o Nazareno, ensinou: “O Shabat foi feito por causa do homem, e não o homem, por causa do Shabat” (Mc 2;27).

16. Disse Rav Sheshet: “todo [aquele que] olhar para o menor dedo de uma mulher, é como se olhasse para a vergonha [dela]” (Talmude Babilônico, Shabat, 64b). Disse Yeshua, o Nazareno: “qualquer que atentar numa mulher, para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela” (Mt 5;28).

Bibliografia usada para consulta:
BEREZIN, Rifka. Dicionário Hebraico-Português. Edusp. São Paulo, 1995.
Bíblia Sagrada, tradução: João Ferreira de Almeida. Edição Revista e Corrigida.
Sociedade Bíblica do Brasil. São Paulo, 1989. Foram modificados alguns termos das
citações bíblicas para adequá-lo ao contexto judaico/hebraico referido (N.T.).
EPSTEIN; Rabino Dr. Isidore, The Babylonian Talmud, Jew’s College, Londres.
Fonte on-line: http://come-and-hear.com/talmud/index.html
IZENBERG; Yehuda (Org.), Massechet Derech Eretz Zuta. 2001 (versão virtual).
Fonte on-line: http://www.daat.ac.il/daat/toshba/zuta/shaar-2.htm
Talmud Bavli. Fonte on-line: http://www.mechon-mamre.org/b/l/l0.htm

Nenhum comentário: