Total de visualizações de página

sábado, 25 de abril de 2009

Um ser humano

Por Giliardi Rodrigues 25/04/09


 

Um ser humano sem história

É como um livro de cem páginas e sem letras,

Um ser humano sem sonhos

É como uma estátua que existe, mas não tem vida,

Um ser humano que não vive para servir

É como alguém que não serve para viver,

Um ser humano sem fé

É como um tolo que não reconhece a D'us.

Um ser humano sem esperança

É como um cego que não conhece as cores,

Um ser humano insensível

É como um galho podre e sem vida,

Um ser humano sem compaixão

É como um homem que nunca foi pai e nem foi filho,

Um ser humano sem trabalho

É como uma pedra que nunca saiu do lugar,

Um ser humano sem amor

É como nunca ter sido nada,

Um ser humano como Jesus (Yeshua)

É como imagem e semelhança do D'us Eterno.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Como pode D'us sendo bom poder criar o mal?

Por Giliardi Rodrigues

Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas. (Isaias 45:7)

A verdade é que D'us é Eterno e Soberano, portanto ele existe muito antes do bem e do mal. Para muitos isso pode parecer estranho, mas a bíblia nos revela que antes de tudo ele "é".

O interessante é que a língua hebraica pela qual foi escrita a maior parte da Escrituras Sagradas não tem o tempo presente para dizer que "sou", pois não somos nada, o único que é, é D'us. Para que seja possível definir o tempo presente temos que juntar o tempo futuro com o tempo passado, isso se remete a eternidade, pois somente pode ser Eterno aquele que não tem inicio e nem fim. EU SOU O QUE SOU / SEREI O QUE SEREI (Êxodo 3:4)

Não podemos dizer que somos, pois somente D'us "é". Nós apenas estamos provisoriamente "sendo", ou seja, não sou dono do carro, estou sendo dono do carro, não sou pai de um filho, estou sendo pai de um filho, não sou dono da empresa, estou sendo dono da empresa, compreende? Pois, quando morremos deixamos de ser.

A soberania de D'us é superior a tudo que existe, então o bem e o mal trabalha dentro da vontade absoluta ou permissiva de D'us, nada acontece sem o seu consentimento. O homem tem livre arbítrio e ele pode usar deste direito desde que ele não toque na soberania de D'us.

O bem e o mal tiveram um inicio, pois nem sempre existiram. O Pai fez todas as coisas através de seu filho e deu tudo de presente para ele.
E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem: o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino o único que não será destruído. (Daniel 7:14)
Porque nele foram criadas todas as coisas que há, nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele; E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. (1Colossenses 1:16).

Ele fez todas as coisas quer visíveis e invisíveis, quer físicas e espirituais, quer abaixo dos céus ou quer acima dos céus. Portando ele é tudo, pois todas as coisas foram criadas e geradas através dele. Ele é transcendente e ao mesmo tempo imanente, ou seja, ele está acima de todas as coisas e ao mesmo tempo dentro de todas as coisas, isso conhecemos como por Onipresença (está em todos os lugares ao mesmo tempo) – importante lembrar que embora ele esteja em todas as coisas, ele não é todas as coisas, pois se fazemos culto ou veneramos um animal, árvore, pedra, sol, estrela, lua, pessoas, imagens ou qualquer outra coisa, estaremos cometendo idolatria.

Mas D'us é bom ou mal? Ele é justo! ...e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia, e me compadecerei de quem me compadecer. (Êxodo 33:17)


Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? de maneira nenhuma. Pois dizia Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece. Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra. Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer.(Romanos 9:14-18)


A imagem que tenho de D'us é como um leão, ele é o rei, respeitado por todos os animais da selva, cuida muito bem de seus filhos, é bonito, forte, inteligente, observador, dócil, não ataca se não for ameaçado ou se não estiver com fome, ele é único macho entre suas fêmeas, o seu território é bem demarcado para que outros não entrem nele, mas, porém ao mesmo tempo é feroz, assustador, o seu rugido põe medo em qualquer um.

O leão assim como D'us não é bom e nem mal – D'us é como ele deve ser e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia, e me compadecerei de quem me compadecer (romanos 9:15).

quarta-feira, 22 de abril de 2009

A criação é o palco da gloria de D'us.

Por Giliardi Rodrigues


 

Toda a criação é o palco

Para a manifestação da glória de D'us

Os pássaros a assobiar

Compõe a mais linda sinfonia

O vento que faz as árvores dançar

Faz ir embora toda melancolia

As ondas a quebrar na praia

O sol que nasce e se Põe todo dia

A lua e as estrelas que iluminam a noite

Tudo que é belo nos traz alegria.


 

As notas dos acordes

Desperta a vontade de cantar,

A vontade de viver

Faz a vida bela deliciar,

Um poeta a escrever

O quão precioso é amar,

De D'us tudo se criou

Para ele tudo deve voltar,

Os homens, os anjos e a criação

É o palco do teatro para a gloria dele manifestar.


 


 


 


 


 


 

Onde está escrito que o Messias terá duas vindas?

Texto escrito por Giliardi Rodrigues em 22/04/2009

Certa vez eu fui questionado por um Judeu Ortodoxo que onde está escrito que o Messias virá duas vezes? Detalhe, ele queria que eu provasse para ele dentro das escrituras hebraicas, ou seja, somente dentro da torah (Pentateuco) ou da tanach (Profetas, livros históricos, salmos, provérbios...). Confesso que no momento eu fiquei sem respostas, pois para afirmar que o Messias era Jesus (Yeshua) e que ele já veio e retornará eu sempre me baseio no Novo Testamento (Brit Hadasha).

Pedi a este amigo judeu que me desse um tempo para estudar a torah e a tanach, cheguei em casa e orei a D'us para que me desse a luz da revelação dentro das escrituras, pois se o antigo testamento tem por finalidade revelar o Messias, porque não esta escrito que ele deveria vir duas vezes?

Eu fui dormir com aquela indagação na cabeça, logo pela manhã peguei a bíblia e abri em uma parte qualquer e caiu exatamente no livro do profeta Daniel cap 7 versículo 13-14 - Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem: e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem: o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino o único que não será destruído. - Quando eu li esta passagem eu tive a certeza que a minha oração tinha chegado ao conhecimento de D'us, pois foi exatamente a resposta que eu procurava.

Vamos fazer um analise do texto?

Toda a fé judaica e cristã se baseia na esperança de um Messias, o ungido de D'us. Para os cristãos este messias é Jesus que já veio e voltara, para os judeus este messias ainda não veio, mas virá.

Tantos judeus, quantos cristão são unânimes em afirmar que o messias tem uma semente humana. Em Genesis 3:15 / Bereshit 3:15 - E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente: esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

A semente aqui relatada se trata do Messias, um homem que nascerá da mulher e pisará na cabeça da serpente.

O profeta Isaias é o livro quem mais fala sobre o messias desde o seu nascimento até a sua morte. Nascimento é morte? Mas o messias não é a semente que nasceria da mulher para governar eternamente sobre as nações, como pode ele morrer? São essas perguntas que abrirão o nosso entendimento sobre quem é o messias.

Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome
EMANUEL (D'us Conosco) - Isaias 7:14 - O sinal de D'us é que uma virgem daria a luz a um filho e o nome dele seria Emanuel, que traduzido significa D'us conosco. Este texto é claro, e faz referencia a Genesis 3:15 – Que da mulher nasceria o Messias.

Muitos judeus vão dizer que este texto não tem nada haver a respeito do Messias, pois no original hebraico não fala que é uma virgem que dará luz ao um filho e sim um moça, pois a palavra para virgem é betulah e este texto no original está escrito almah. Esse debate é levantado por grupos de judeus que não crêem em Jesus (Yeshua) como messias. Vamos analisar o Texto?

Isaias 7:14
-
לכן יתן אדני הוא לכם אות הנה העלמה הרה וילדת בן וקראת שׂמו עמנו אל / hebraico

lâkhên yittên 'adhonâyhu' lâkhem 'oth hinnêh hâ`almâh hârâh veyoledheth bên veqârâ'th shemo`immânu'êltransliterado do hebraico para o português

De fato a palavra que aparece no original hebraico é almah, que quer dizer moça e não virgem, a palavra para virgem em hebraico seria betulah. Mas o mais intrigante é que os grandes sábios judeus dizem que almah e betulah têm o mesmo significado, essa diferenciação é apenas levantada por judeus que dizem que Jesus não nasceu de uma virgem. Porém temos diversas passagens ao longo da bíblia que as duas palavras são sinônimas. Ex 2:8 – Pv 30:19 – Gn 24:43.

Outra prova para comprovar que de fato esse texto se refere a uma virgem é a LXX, a septuaginta é uma tradução da bíblia hebraica para o grego e foi escrita por 70 grande sábios judeus no período do exílio, ou seja, muito antes de Jesus nascer. Vamos saber o que esses 70 sábios judeus pensavam a respeito deste texto?

δια τουτο δωσει κυριος αυτος υμιν σημειον ιδου η παρθενος εν γαστρι εξει και τεξεται υιον και καλεσεις το ονομα αυτου εμμανουηλ – Isaias 7:14

παρθενος = partenós = virgem

Está mais que esclarecido que os judeus que sabiam a língua grega associavam a palavra almah e betulah a palavra partenós que significa virgem, portando fica descartado a possibilidade do texto de Isaias 7:14 está tratando de outro assunto que não fosse o nascimento do messias através de uma virgem.

Nessa primeira parte ficou esclarecido que o messias teria que nascer de uma mulher para cumprir a palavra de D'us em Gn 3:15 e a profecia de Isaias 7:14.

Voltando ao assunto das duas vindas do messias.

Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si: e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades: o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho: mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido, mas não abriu a sua boca: como um cordeiro foi levado ao matadouro, e, como a ovelha muda, perante os seus tosquiadores, ele não abriu a sua boca. Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes: pela transgressão do meu povo foi ele atingido. E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; porquanto nunca fez injustiça, nem houve engano na sua boca. Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão. Isaias 53:4-10

Este texto é maravilhoso, pois ele nos revela o plano de salvação de D'us através do Messias. O profeta esta dizendo que o messias deveria ser morto para que sua alma fizesse expiação dos pecados dos homens, e que, todavia D'us agradou em fazer isso que pela a vida de um homem inocente e justo toda a humanidade fosse justificada.

É importante lembrar que o Messias é um escolhido por D'us e que desempenha diversos ofícios com de Rei, profeta e sacerdote. Ele tem o papel de reinar de Jerusalém eternamente Dn 7:14 sobre todas as nações Dn 7:27, trazer paz sobre a terra Zc 9:10, restaurar o trono caído de Davi Is 16:5, restaurar as 12 tribos de Israel Is 49:5-6 tirar o pecado do mundo Is 27:9 , ensinar a lei de D'us aos povos Ez 44:23 erguer o templo sobre o monte Sião Ez 40:1-49 e outras coisas mais...

Fica a pergunta: Sendo o messias um homem gerado de uma mulher, quanto tempo ele precisaria para fazer todas essas coisas? O messias deveria viver no mínimo 1000 anos para executar esse projeto de D'us. Conclui-se que o Messias não é um ser comum, pois o homem vive no Maximo 120 anos.

Os judeus dizem que Jesus não é e não pode ser o messias, pois não conseguiu realizar tais obras, de fato isso é uma grande verdade! Mas, porém a primeira coisa que o messias veio fazer foi vencer a morte, pois ele era homem, tinha uma natureza humana e era limitado em sua vida por causa da morte decorrente do pecado de adão. Portanto, embora ele não tendo pecado havia herdado uma natureza pecaminosa – o fator dele ter herdado uma natureza pecaminosa, não fazia dele um pecador, pois não foi ele que pecou. A morte entrou no mundo através do pecado de um homem e logicamente para tirar o pecado do mundo somente poderia ser por um homem. (Este é o Messias/ Mashiach).

Onde está escrito que um homem poderia morrer para expiar o pecado de alguém?

Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão. O trabalho da sua alma ele verá, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos: porque as iniquidades deles levará sobre si. Isaias 53:10-11

A bíblia diz que através da morte de um justo muitos serão justificados. Esse justo é o messias que justifica o povo através de seu sangue que é puro e sem pecado. Os judeus matavam cordeiros para a expiação de pecados, logicamente que sangue de animais não tem o poder de perdoar pecados, creio que eles faziam isso na esperança e na fé de um dia serem justificados diante de D'us pela a vinda do messias. Eu sei que hoje muitos vão negar isso! Mas como fica a situação dos judeus nos dias de hoje? Partindo do ponto que a torah diz que sem derramamento de sangue não há remissão de pecados, como que os judeus expiam pecados nos dias de hoje? Já conversei com alguns e eles dizem que expiam seus pecados fazendo orações e praticando justiça. O mais curioso é que fazer oração e praticar justiça é uma dever de todos os filhos de D'us e isso não tem nada haver com expiar pecados, o livro de levitico fala todo tempo sobre sacrifícios, não estariam os judeus hoje desprezando quase um terço da torah? Eles alegam que não fazem mais sacrifícios, pois não existe mais templo, eu pergunto: na época de Noé, Moises, Abraão, Davi tinha templo? E eles faziam sacrifícios mesmo assim. Porque exatamente depois da morte de Jesus e da destruição do templo no ano 70 os sacrifícios cessaram? Intrigante não?

Mas agora se o justo morreu como vai cumprir as profecias do messias reinar eternamente, trazer paz sobre a terra, restaurar as 12 tribos, erguer o templo...?

Rm 6:23 – porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna... Sabemos que Jesus não pecou, mas mesmo sem ter pecado assumiu em si os pecados dos homens afins que todos os homens fossem justificados, primeiro o judeu e depois os gentios. Se o salário do pecado é a morte e ele não pecou como ele poderia morrer? Ele morreu pelos os pecados dos homens, mas ele mesmo não pecou. Com isso a morte não tinha poder sobre ele, por isso eles ressuscitou dentre os mortos.

Agora as coisas começam a fazer sentido, você concorda?

Pois como o homem poderia voltar para D'us cheio de pecados? Se o sangue de cordeiro e de animais não perdoa pecados, que sangue poderia perdoar pecados então? Por isso a bíblia diz que somente o cordeiro de D'us poderia tirar o pecado do mundo. Jo 1:29

Porque o Cordeiro, que está no meio do trono, os apascentará, e lhes servirá de guia para as fontes das águas da vida, e Deus limpará dos seus olhos toda a lágrima.
Ap 7:17

O profeta Daniel viu vindo sobre as nuvens um como o filho do homem que se dirigiu ao um ancião de dias. Dn 7:13 – quem era este que vinha sobre as nuvens? E quem era o ancião de dias? Daniel ficou alarmado, pois não entendia o que estava vendo. Aquilo era uma visão para tempos futuros.

Sabemos que D'us é soberano e somente ele tem poder e domínio sobre todas as coisas. O interessante é que a esse como um filho do homem foi dado todo o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem: o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino o único que não será destruído. A gloria e o reino sobre todos os povos.

Se o Ancião de Dias deu ao filho do homem todo o poder, e somente D'us tem todo o poder, o ancião de dias é ADONAY, e o filho do homem é o messias, pois este governará e terá domínio sobre toda a criação. Ficando provado agora que o messias teria duas vindas, a primeira ele nasceu de uma mulher e veio com homem e a segunda vinda ele vem como rei sobre as nuvens para governar com os filhos de D'us sobre toda a criação.

E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos, debaixo de todo o céu, serão dados ao povo dos santos do Altíssimo: o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão e lhe obedecerão. (Daniel 7:27).

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Bereshit / Gênesis 6:1

Por Giliardi Rodrigues


 

Gn 6:1 - E ACONTECEU que, como os homens se começaram a multiplicar sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas; Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.

Os filhos de D'us não eram anjos como muitos teólogos afirmam que no cruzamento dos filhos de D'us com os filhos dos homens nasceram os nefilins (gigantes), isso não pode ser verdade, pois os anjos não têm sexo. Os Filhos de D'us eram os B'nei elohin, ou seja, representantes e sacerdotes de D'us responsáveis por propagar o testemunho da palavra de D'us sobre a terra. Os B'nei elohin certamente eram os filhos de sete descendentes de Adão e os filhos dos homens eram os descendentes de Caim.

Os filhos de D'us em vez de propagar a justiça sobre a terra, começaram coabitar com as filhas dos homens é praticar relações sexuais ilícitas e também com animais. De modo que não somente os homens se corromperam com o pecado, como também os animais e toda a criação.

Os homens começaram a praticar o "Hamás" e toda a terra ficou contaminada pelo o pecado. Hamás é tudo que é contrario a lei de D'us (violência, homicídio, idolatria, sexo ilícito com adultério, prostituição, pedofilia, zoofilia, masturbação...) – Existe um grupo fundamentalista islâmico que se denomina hamás, creio que isso seja justamente para aterrorizar os judeus e todas as pessoas que crêem em D'us, pois os membros deste grupo praticam tudo tipo de genocídio, perversidade e terrorismo.

Então a bíblia diz que D'us se arrependeu de ter feito o homem, e que seu espírito não habitaria mais com este, pois o homem é carnal e estava entregue a todas praticas de corrupção da natureza pecaminosa. Limitou D'us os anos da vida do homem há 120 anos. Antes deste tempo os homens tinham uma longevidade muito maior, temos caso de homens que chegaram a viver quase por mil anos como Adão, matusalém, Enos, Cainam, Jared, Maalalel, Enoch, Lamech, Noé... (Bereshit/Genesis cap. 5).

Ate os animais absorveram o pecado do homem, de modo que quando D'us anuncia o dilúvio para limpar a terra somente os peixes são preservados, pois estes ainda não havia tido um contato direto com o homem.

Vida de sábio.



Mais torah, mais vida.

Mais estudo, mais sabedoria.

Mais indagação, mais discernimento.

Mais justiça, mais paz.


Adquirir bom nome é adquirir um bem para si próprio,

Adquirir conhecimento das escrituras sagradas

É adquirir para si a vida no mundo vindouro.


(Rav Hillel – Pirkêi Avót 2,8).


O pecado Original de Davi – Salmos 51:5


Muitos usam deste versículo para justificar a teologia do pecado original, existem diversas correntes que justificam o batismo de crianças através deste texto, se a criança já nasce com pecado, ela deve passar pelo o batismo para ser purificada dos seus pecados hereditários. Dizem se a criança morrer sem ser batizada ela vai para o limbo um lugar onde estão todas as almas inocentes que, sem terem cometido pecados mortais aguardam pelo o julgamento final.

A torah diz que Sentiu o Senhor o suave cheiro e disse em seu coração: Não tornarei mais a amaldiçoar a terra por causa do homem; porque a inclinação do coração do homem é má desde a sua meninice; nem tornarei mais a ferir todo vivente, como acabo de fazer. Genesis /Bereshit 8:21 - A bíblia diz que ninguém nasce já sendo um pecador, mas nasce com uma grande tendência para praticar o mal (Yetzer Ra´rá). O homem se torna um pecador a partir do momento que ele tem consciência do pecado. Veja que a inclinação do coração do homem que é má desde a sua meninice e não desde o seu nascimento. Algumas traduções dizem que é desde a sua adolescência. Daí o judaísmo entende que um menino ou menina atinge a maturidade após os 12 ou 13 anos, e se torna consciente e responsável pelas as sua atitudes ao ponto de responder pelos os seus atos (O Bar Mitzvá).

Não temos uma base solida para afirmar a existência do limbo, segundo a bíblia ele não existe. Jesus, porém, disse: Deixai os meninos, e não os estorveis de vir a mim; porque dos tais é o reino dos céus. Mt 19:14 – Jesus em nenhum momento falou que existe um lugar intermediário entre os céus e a terra, ele foi bem categórico e direto quando disse que das crianças eram o reino dos céus.

Eis que em iniqüidade fui formado e em pecado me concebeu minha mãe.
Salmos 51:5 – alguns estudiosos afirmam que Davi foi gerado através de pecado de sua mãe com seu pai. Podendo ser Davi um fruto do adultério de Jessé.

Talvez isso possa explicar a rejeição que Davi tinha por parte de seus irmãos, Davi era o oitavo filho da descendência de Jessé. Parecia também que Jesse tinha vergonha de Davi, pois era fruto e vergonha de um ato de pecado, o próprio pai de Davi fazia questão de manter Davi isolado.

Um fator muito relevante com relação a este assunto é que quando o profeta Samuel recebe de D'us a ordem para ir à casa de Jessé e ungir o novo rei de Israel pelo qual seria o sucessor de Saul. Jessé apresenta a Samuel todos os seus filhos e D'us disse a Samuel que nenhum daqueles seria o seu ungido, por fim Samuel perguntou a Jessé se tinha trago todos os seus filhos e Jessé disse que ainda haveria um último, um garoto jovem, ruivo e formoso de semblante e de boa presença. Davi estava longe e cuidando de ovelhas, mas o profeta ordenou que fosse chamá-lo.

Chegando Davi na presença de Samuel, o profeta tomou o vaso do azeite e ungiu-o, no meio dos seus irmãos; e desde aquele dia em diante o espírito do Senhor se apoderou de David. 1 Sm 16:1-13

O texto diz no cap. 7 diz que D'us ordenou ao profeta Samuel que não olhasse para a aparência, nem para a altura da estatura dos filhos de Jessé, porque ele havia rejeitado, porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração.

Contra ti, contra ti somente, pequei, e fiz o que a teus olhos parece mal, para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares. Eis que em iniqüidade fui formado e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que amas a verdade no íntimo e no oculto me fazes conhecer a sabedoria. Sl 51:4-6

Então quem pecou? O texto é claro quando diz: Eis que em iniqüidade fui formado e em pecado me concebeu minha mãe. Sl 51:5 - Davi foi formado em um ato de pecado de seu pai com sua mãe, pois a mãe de Davi não poderia concebê-lo sem a semente de seu pai.

O versículo abre um questionamento pelo menos para duas possibilidades, quando diz que Davi foi concebido em pecado, ele é fruto de uma relação sexual ilícita de seu pai com sua mãe. Que relação poderia ser essa? Adultério ou sexo antes do casamento? Eu deduzo que não é sexo fora do casamento, pois Davi era o oitavo filho de Jessé e seu pai certamente era casado. Será então um adultério de Jessé com outra mulher que não fosse mãe dos outros seus 7 filhos? Importante lembrar que pouco sabe sobre a mãe da Davi. Se Davi foi fruto de adultério de seu pai talvez explique o fato de Jessé ter assumido a paternidade de Davi e poucas referências e fatos sobre a mãe de Davi.

Esses comentários podem explicar o fato de Davi ser o motivo de vergonha por parte de seus irmãos e de seu Pai. Davi parecia ser o opróbrio da família, pois estes não faziam muita questão da presença dele. Davi era ruivo! Algumas traduções trazem como moreno. Aqui está denunciada uma possível diferença física de David e todos os seus irmãos. Será que isso foi o motivo da rejeição de Jessé por David?

Outro caso é a historia do gigante Golias, em 1 sm 17:28 diz: E, ouvindo Eliabe, seu irmão mais velho, falar àqueles homens, acendeu-se a ira de Eliabe contra David, e disse: Por que desceste aqui? E a quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Bem conheço a tua presunção, e a maldade do teu coração, que desceste para ver a peleja.

Eliabe, o irmão mais velho não suporta a presença de Davi quando ele vai ao acampamento saber mais sobre a guerra. Esse dentre outros textos demonstra que a presença de Davi incomodava seus irmãos, de modo que eles queriam vê-lo o mais distante possível. Claro, que não podemos afirmar que o fato de Davi ser rejeitado seja atribuído ao caso dele ser fruto de adultério, mas é uma possibilidade e não podemos descartá-la, pelo menos eu não vi em nenhum texto Davi dando motivo ou provocando seus irmãos, eles implicavam com Davi simplesmente pela a presença dele.

Em nenhum momento a Tanach fala sobre o nome da mãe de David e de seus irmãos. Se ela era a mesma ou poderia ser outra. Particularmente creio que se porventura a mãe de Davi tivesse pecado, isso não anularia a misericórdia de D'us quanto ao seu pecado e ela seria como antes serva. Acredito que a mãe de Davi temia ao Senhor. Assim como Davi pecou com Bate-seba ele não deixou de ser o homem segundo o coração de D'us.

domingo, 19 de abril de 2009

No principio D'us chamou

Por giliardi Rodrigues


 

D'us recortou um pedaço da eternidade

E chamou de infinito,

Depois pegou um pedaço deste infinito

E chamou de criação,

Depois pegou um pedaço da criação

E chamou de universo.


 

D'us fez todas as coisas com amor e justiça

E chamou de equilíbrio,

E viu D'us que tudo que havia feito era bom

Foi e fez um ser a sua imagem e semelhança,

É chamou de obra-prima da criação

A este ser lhe deu um nome e o chamou de adão.


 

D'us chamou com a sua palavra

Aquilo que ainda não existia,

Trouxe a existência

O que na eternidade não havia,

O que não era veio a ser

Tudo feito perfeito com a maior sabedoria.


 

terça-feira, 14 de abril de 2009

Os Ensinamentos de Yeshua e os Ensinamentos dos Rabinos de Israel

- Quem os tomou de quem?

Autor: Rabi Moshe Imanuel ben Meir.
Artigo extraído de “Hatzofeh” – “O Atalaia” – nº 96 –1937.
Tradução do original hebraico: Erike Couto Lourenço.

“Yeshua, o Nazareno, não ensinou coisas novas; todos os belos provérbios que ele usava não provinham dele. Todas as palavras de moral que ensinava não eram dele. Ele bebeu toda sua inovação dos ensinos rabínicos.” Opiniões como esta são as difundidas nos meios judaicos, e que freqüentemente os propagadores das Boas Novas de Yeshua o Messias se deparam com ela freqüentemente. Realmente, não se pode ignorar o fato de que a doutrina do “Nazareno” compartilha do perfume que há na doutrina dos Sábios do Talmude. Um verdadeiro pesquisador não irá retroceder ante a tais fatos firmes, mas irá agarrá-los com as mãos no instante em que estes fatos objetam todas as suas compreensões anteriores.

Nas próximas linhas, serão comparadas as proclamações do “Nazareno” e as proclamações de diferentes rabinos, com seus respectivos nomes, bem como a época que viveram. Com isso, discutiremos quem poderia ter recebido de quem seus respectivos ensinamentos.

1. Rabi Gamaliel Barabi, disse: “todo aquele que se compadece pelas pessoas, haverá compaixão sobre ele desde os Céus; e todo aquele que não se compadece pelas pessoas, não virá sobre ele a compaixão desde os Céus.” (Talmude babilônico, Shabat 151a). Yeshua, o Nazareno, disse: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia.” (Mt 5;7). Estes dois ditos são semelhantes, sendo um longo e o outro curto. Quem foi o primeiro a ensinar ao mundo a importância da misericórdia e a sua grandeza? Sem dúvida que foi Yeshua, o Nazareno, que viveu quase duzentos anos antes de Rabi Gamaliel Barabi!.

2. Disse o Rabi Abahu: “Um homem deve sempre tentar ser [parte do grupo] dos perseguidos, e não [ser parte do grupo] dos perseguidores, já que não existe nenhuma dentre as aves mais perseguidos do que pombas e pombos, e ainda Escritura os [privilegiou] serem preparados sobre o altar1. (Talmude Babilônico, Bavá Qamá 93a). Disse Yeshua o Nazareno: “Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.” (Mt 5:10). Yeshua precedeu a Abahu em 300 anos; por isso não há como argumentar que ele extraiu suas palavras de Rabi Abahu.

3. Resh Lakish disse: “Todo [aquele que] estende a mão contra seu companheiro se chama iníquo”2. Yeshua disse: “Eu, porém, vos digo que todo aquele que se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo;” (Mt 5:22). Entre estes dois princípios há uma similaridade interna e não exterior. Há entre eles uma relação sinalizando que os dois procederam de uma única origem. Qual é a origem? Yeshua, o Nazareno, já que Resh Lakish não nascera a não ser quase 180 anos depois de Yeshua, o Messias.

4. Disse Rabi Yossi, em [nome de] Rabi Yehudá: “Será, pois, teu sim justiça e o teu não justiça!”, Abaiê disse: “que não fale uma coisa no coração e outra pela boca” (Baba Metsiá 49a). Yeshua, o Nazareno, disse: “Seja, pois, teu falar sim sim e não não” (Mt 5:37). Rabi Yossi e Abaiê ensinaram sua doutrina 250 anos depois de Yeshua.

5. Raba disse: “Todo [aquele] que perdoa as suas retaliações, são perdoados todos os seus pecados” (Derech Eretz Zutá 8). Yeshua, o Nazareno, disse: “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;” (Mt 6:14) – quase 300 anos antes de Raba.Lv 1;14: “E se a sua oferta ao Eterno for holocausto de aves, oferecerá a sua oferta de rola ou de pombinhos;” 2 Talmude Babilônico, Sanhedrin 58b

6. Ensinava Rabi Shimeon bar Eliezer: “Vistes dentre teus dias animais e aves que possuem criadores e eis que se alimentam estes seres e não vivem em sofrimento, e não foram criados a não ser para nós os usemos? E eu, que fui criado para se utilizar da criação, não terei minhas necessidades, pois, saciadas e não serei livrado de aflições”? (Talmude Babilônico, Kidushin 82a). Yeshua, o Nazareno, ensinou: “Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas?” (Mt 6:26). Yeshua ensinou este princípio 200 anos antes do Rabi Shimeon bar Eliezer.

7. Rabi Eliezer disse: “Todo aquele que tem uma fatia de pão no seu cesto e diz: que comerei amanhã? Este é o que possui um ato digno dos pequenos de fé” (Talmude Babilônico, Sotá 48b). Yeshua, o Nazareno, cem anos antes do grande Rabi Eliezer, tinha dito: “Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? [...] Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” (Mt 6:31;34).

8. Rabi Meir tinha dito: “Na medida em que um homem mede lhe medirão.” (Sanhedrin 2b). Yeshua, o Nazareno, dizia: “Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós.” (Mt 7:2). Rabi Meir viveu e exerceu [seu ministério] quase que 130 anos depois de Yeshua, o Messias.

9. Palavras do Rabi Yochanan, filho de Nafcha: “Diz-lhe: lança o argueiro de entre os teus olhos; diz-lhe: Lança a trave de entre os teus olhos” (Talmude Babilônico, Baba Batra 15b). As palavras de Yeshua, o Nazareno, 180 anos antes do Rabi Yochanan: “E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho?” (Mt 7:3).

10. Ensinou Elisha ben Abuyá: “um homem que tem boas obras e ensina muito a Torá, a quem ele se assemelha? Ao homem que constrói pedras em baixo e depois tijolos; e, vindo muitas águas e irem de encontro a elas, não as mudam de lugar. E um homem que não tem boas obras e estuda a Torá, a quem ele se assemelha? A um homem que construiu inicialmente [com] tijolos e depois [pôs] as pedras; e, vindo então muitas águas correntes, de repente as despedaça [as pedras e os tijolos]” (Pirkêi de-Rabi Natan 24;1-2). Yeshua, o Nazareno, ensinou, quase 200 anos antes de Ben-Abuyá: “E aquele que ouve estas minhas palavras e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda” (Mt 7;26-27).

11. Disse o Rabi Shimeon ben Gamaliel: “não é o estudo o fundamental, mas a prática” (Talmude Babilônico, Avôt 1;7). 100 anos antes deste disse Yeshua: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” (Mt 7;21).

12. Rabi Tarfon disse: “hoje [o dia está] curto e muita é a obra, e os que trabalham são preguiçosos e o galardão é muito e o dono da casa está necessitado”. Yeshua, o Nazareno, 100 anos antes de Rabi Tarfon, disse: “Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os obreiros” (Mt 9;37).

13. Rabi Shmuel haKatan, disse aos seus discípulos: “da forma como ensinei [diligentemente] ante vós de graça, do mesmo modo ensinareis [diligentemente] de graça”. 200 anos antes dele, disse Yeshua, o Nazareno, aos seus discípulos: “de graça o recebestes, de graça o daí” (Mt 10;8b).

14. Ensinava Rabi Yirmeyah: “todo aquele que humilha a si próprio por causa das palavras da Torá neste mundo, será engrandecido no mundo vindouro; e todo [aquele que] se coloca como um servo, por causa das palavras da Torá, neste mundo, será feito livre no mundo vindouro” (Talmude Babilônico, Bavá Metziá, 85b). Ensinou Yeshua, o Nazareno, 200 anos antes daquele: “Porque o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mt 23;12).

15. Yochanan, em [nome de] Rabi Yosef pôs [em questão]: “o Shabat foi entregue em vossas mãos, e nãos vós entregues a ele [ao Shabat]” (Talmude Babilônico, Yomá, 85b). Yeshua, o Nazareno, ensinou: “O Shabat foi feito por causa do homem, e não o homem, por causa do Shabat” (Mc 2;27).

16. Disse Rav Sheshet: “todo [aquele que] olhar para o menor dedo de uma mulher, é como se olhasse para a vergonha [dela]” (Talmude Babilônico, Shabat, 64b). Disse Yeshua, o Nazareno: “qualquer que atentar numa mulher, para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela” (Mt 5;28).

Bibliografia usada para consulta:
BEREZIN, Rifka. Dicionário Hebraico-Português. Edusp. São Paulo, 1995.
Bíblia Sagrada, tradução: João Ferreira de Almeida. Edição Revista e Corrigida.
Sociedade Bíblica do Brasil. São Paulo, 1989. Foram modificados alguns termos das
citações bíblicas para adequá-lo ao contexto judaico/hebraico referido (N.T.).
EPSTEIN; Rabino Dr. Isidore, The Babylonian Talmud, Jew’s College, Londres.
Fonte on-line: http://come-and-hear.com/talmud/index.html
IZENBERG; Yehuda (Org.), Massechet Derech Eretz Zuta. 2001 (versão virtual).
Fonte on-line: http://www.daat.ac.il/daat/toshba/zuta/shaar-2.htm
Talmud Bavli. Fonte on-line: http://www.mechon-mamre.org/b/l/l0.htm

TALMUDE E JESUS


por Paulo Dias

Os seguintes passos, em geral do Talmude, são paralelos no evangelho e nos livros judaicos, sobretudo nos caps. 5-7 de Mateus:

Amai os vossos inimigos e fazei bem aos que vos odeiam (Mt 5). Se teu inimigo tiver fome, dá-lhe pão; se tiver sede, água (Provérbios 25,21-2).

Quem tem misericórdia de seus semelhantes alcança misericórdia no céu (Sabat, 151b). Sede misericordiosos, como vosso Pai é misericordioso (Lc). Assim como D'us é misericordioso e bom, fazei vós (Sabat, 336).

Quando derdes vossa esmola, dai em segredo (Mt). Quem dá esmolas publicamente, é pecador (Sabat, 104a).

Não passará um jota ou til da Lei sem que tudo seja cumprido (Mt). Nem todos os homens unidos poderiam riscar da Lei um jota sequer (Rabbah 5,2).

Quando um homem olha cobiçosamente uma mulher, em seu coração já cometeu adultério (Mt). Quando um homem tenciona pecar, é como se já tivesse pecado contra D'us (Rabbah 8,5).

Se amardes apenas os vossos irmãos, que fazeis de bom? (Mt). Quando desonras um teu irmão de outra raça, desonras o filho de tua mãe (Rabbah 6,9).

Quem fizer mal a seu semelhante, arderá no fogo eterno (Mt). E' preferível lançar-se vivo numa fornalha do que fazer mal a seu semelhante (Baba Mezia, 586).

Seja o vosso falar, sim sim; não não (Mt). Seja sim o teu sim, seja não o teu não (Baba Mezia, 49a). Pensamentos imorais são piores do que atos imorais (Yoma 29a).

Perdoai para serdes perdoados (Mt). Quem perdoa é perdoado (Yoma 23a).

Orai em segredo, e sem multiplicar palavras (Mt). Não repitais palavras em vossa prece; todo ardil que distrai a atenção de D'us tira da prece o seu valor (Yoma 19b).

Quem for tolerante, generoso e não buscar os seus direitos com arrogância, terá o perdão de seus pecados (Yoma 23a).

Não julgues adúltero o que peca por atos; igualmente adúltero é o cobiçoso que apenas olha (Pesikta Rabati, 1246).

Quem é forte? Quem faz do inimigo um amigo (Avot, R.Natan, 23-4).

O homem que pratica meus ensinos é como quem construi sua casa sobre a rocha, vem a chuva e não derruba esta casa (Mt 7). O homem que pratica o bem e estuda a Lei é como alguém que construi sua casa com alicerces de pedra e cobertura de telhas, de modo que a casa não sofre, mesmo com enchente. Mas quem pratica o mal, ainda que estude a Lei, é como quem levanta a casa com alicerces de telha e telhado de pedra: ao menor chuvisco, a casa desmorona (Avot, R.Natan, 23-4).

Dai vossa esmola em segredo tal que não saiba a vossa mão esquerda o que faz a direita (Mt). A esmola deve ser dada em segredo (Baba Bathra, 9b). Não humilhes o pobre socorrendo-o publicamente (Chagiga, 5a).

Orai em segredo (Mt). A prece deve ser silenciosa (Sota, 326). Rabi Yochanan ensinou, se alguém orar continuamente, julgando que assim D'us o ouve, reza em vão (Berachot 326). Demorar-se em preces prolongadas, ou rezar algumas palavras apenas, não faz diferença se o coração está voltado ao céu (Berachot 56).

A cada dia basta o seu mal (Mt). Basta a preocupação de cada hora (Berachot 9b). Ajuntai tesouros no céu, onde as traças não comem (Mt). Um rei doou todos os seus bens aos pobres; quando o censuraram, disse, os meus avós amontoaram tesouros na terra, eu acumulo no céu; eles os amontoaram onde um homem pode tomá-los, eu acumulo onde ninguém lhes deitará mão; eles amontoaram para este mundo, eu acumulo para o mundo vindouro (Talmud Yerushalmi, Peah, 1,15b).

Olhai os lírios do campo, não trabalham nem semeiam, mas nem Salomão em toda a sua glória se vestiu como eles (Mt). Rabi Simeon ben Eliazar ensinou, nunca vi gazela guardar figos, nem leão carregar um fardo, nem raposa abrir loja, no entanto são alimentados, sem preocupações nem fadigas. Se essas criaturas, criadas apenas para servir ao homem, são assim alimentadas, com mais razão devo ter a esperança de receber o meu pão de cada dia sem preocupações ou canseira, porque fui criado para servir a D'us (Kiddushin 826). Não te preocupes com o dia de amanhã, pois não sabes o que a manhã seguinte vai te trazer (Sanhedrim 10b).

Não julgueis, para não serdes julgados, pois com a medida que usardes, sereis medidos (Mt). Não julgues o teu próximo, sem te colocares no lugar dele (Avot, R. Hilel 2,5).

O homem será medido com a medida que usar para medir os outros (Mishna Sota 1,7).

Antes de tirardes o argueiro do olho do teu irmão, retirai a trave do vosso (Mt). Disse o rabi Tarfon, um homem diz ao companheiro, tira o argueiro dos teus olhos; o outro replica, tira primeiro a trave dos teus (Erachim 16,b).

«Jesus era judeu em tudo que fazia e pensava. Como israelita fervoroso, observou todos os mandamentos, considerou Elohim como seu pai celestial, teve piedade do pobre. Apoiou a quem tropeça no caminho; e amou a quem se arrepende: a este, nem mesmo um justo perfeito tem o direito de tomar o lugar, segundo a palavra do Talmude. Ele tem igualmente o defeito caracterial do judeu: nunca repara na grandeza e na beleza da natureza, e nunca sorri. Chorou, ameaçou e prometeu para ensinar... Jesus era o mais judeu de todos os judeus, mais judeu que o grande mestre Hillel». (Rabi Klausner).

Ademais o passo da Adúltera em Jo 8:3-11, no evangelho, exemplifica como nenhum outro o ensino de Jesus sobre a misericórdia. Conforme depoimento dos Pais da Igreja, este passo foi recolhido no folclore oral judaico da Espanha, ainda em tempos apostólicos cf. CHAMPLIN, O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo vol 3.

Ademais, Jesus nasceu como judeu, foi circuncidado como judeu, viveu como judeu, morreu como judeu e por causa de ser judeu; se tivesse nascido grego, ninguém ia achar esquisito o que ele disse; mas como era judeu, houve o preconceito fatal de Roma e mesmo de alguns judeus. Editou, Paulo Dias.

FONTES: Mishlei (Provérbios) 25,21-2; Sabat, 15b.336.104a; Rabbah 5,2.8,5.6,9; Baba Mezia, 586.49a; Yoma 29a.23a.19b.23a; Pesikta Rabati, 1246; Abot, R.Natan, 23-4; Baba Bathra, 9b; Chagiga, 5a; Sota, 326; Berachot 326.56.9b; Talmud Yerushalmi, Peah, 1,15b; Kiddushin 826; Sanhedrim 10b; Abot, R. Hilel 2,5; Mishna Sota 1,7; Erachim 16,b. Etc.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Salvação é um chamado a liberdade

Por Giliardi Rodrigues

O que é salvação?

Muito se tem falado sobre salvação nos dias de hoje, mas sinto que pouco se tem aprofundado na dimensão desta realidade. Salvação não tange apenas em livrar a alma do homem do inferno, a mensagem do evangelho de Jesus vai muito mais além e aborda a liberdade em todos os aspectos da vida daqueles que são chamados como filhos de D’us. Quem já não foi abordado por um cristão dizendo que devemos aceitar Jesus para alcançarmos a salvação? Mas, eu creio que poucas pessoas já se perguntaram – salvar de quê? Ou salvar para quê?

Logicamente que quando sou salvo de alguma coisa, isso deve me levar a um determinado objetivo. A bíblia sagrada aborda a salvação em todos os aspectos da vida do homem, desde a forma de se vestir com decência, a maneira correta de se alimentar, o tratamento com a família e como os membros da sociedade até a forma litúrgica de se fazer um culto a D’us. Claro, que se observamos atenciosamente podemos concluir que as escrituras não é apenas um manual de fé, mas também um manual de ética e conduta moral.

Ser salvo é justamente o direito de poder exercer o livre arbítrio com total liberdade, ser livre é ter o direito de escolher o caminho pelo qual eu quero seguir e caminhar. Ser livre não é uma autonomia desprovida de responsabilidades. A liberdade propõe ao homem a consciência e as conseqüências de suas escolhas.

Existe uma grande diferença entre ser servo e ser escravo. Primeiramente o escravo é aquele que trabalha para o seu senhor por obrigação, quase nunca tendo um reconhecimento, recompensa ou salário pelo o seu serviço prestado. Enquanto o servo trabalha para o seu senhor tendo direito a uma recompensa pelo o seu trabalho. O servo tem o direito em trabalhar e não trabalhar, o escravo não goza de muitas opções, pois ele tem que trabalhar, trabalhar e trabalhar.

Dentro deste aspecto de salvação podemos entender o seu chamado a liberdade, Jesus revelou ao homem o caminho que leva a D'us, ele mostrou para a humanidade a maneira de viver em obediência e liberdade dentro da lei de D'us.

O homem sempre estará debaixo de um domínio, seja ele qual for. A bíblia diz que o ser humano nunca estará isento de senhores, no livro de Lucas 16:13 - Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há-de aborrecer um e amar o outro, ou se há-de chegar a um e desprezar o outro. Todos os homens são governados por algum senhor ou por alguma coisa. Ser livre não é estar isento de um senhor, mas estar debaixo da autoridade certa. Quando a bíblia diz que Jesus veio para salvar o homem, na verdade ela está dizendo que Jesus veio para tirar o homem debaixo do poder das trevas e colocá-lo debaixo do poder da justiça.

Ser liberto significa não ser mais escravo, liberdade essa que lhe permite o direito de escolher entre o sim e o não. Vamos dar um exemplo claro de homem que bebeu durante 30 anos de sua vida, se tornou alcoólatra e dependente da bebida, foi escravo do vicio e quando teve um encontro com o evangelho de Jesus se tornou livre. Hoje ele pode chegar perto de uma garrafa de bebida alcoólica e poder optar em não beber, enquanto antigamente ele não poderia fazer isso, pois era escravo do seu próprio vicio. A liberdade colocar o homem em autoridade sobre a criação e ao mesmo tempo submisso ao seu criador.

Outro grande exemplo de libertação foi no livro de êxodo, D'us tira o povo Hebreu da escravidão do Egito para uma terra que manava leite e mel. Neste contexto podemos observar que quando o povo estava no Egito estava sobre o senhorio de faraó. D'us liberta esse povo da escravidão de um homem tirano e propõe a este povo uma liberdade para não serem mais escravos, mas agora servos do D'us altíssimo.

Existe uma frase que diz que podemos tirar o homem da favela, mas não conseguimos tirar a favela de dentro do homem, isso foi o que aconteceu com os Israelitas, D'us tirou eles do Egito, mas os corações deles ainda estavam no Egito, eles caminhava pelo o deserto em sentido a terra prometida, mas o coração e a mente deles ainda estavam no Egito. Eles foram tanto tempo escravos que não se deram conta da tamanha liberdade que D'us estava concedendo. No Egito eles adoravam vários deuses, trabalhavam todos os dias, comiam qualquer tipo de animal, praticavam todo tipo de relação sexual (adultério, prostituição, homossexualismo, pedofilia, zoofilia). Eles estavam tão acostumados com isso, que mesmo depois de ter sidos libertados de uma forma milagrosa ainda sentiam falta da velha vida de escravos.

D'us então, com todo amor e misericórdia dá a esse povo a possibilidade de serem livres e libertos, D'us revela aos hebreus uma nova lei, um novo estatuto, agora eles não precisavam adorar deuses estranhos de outros povos, pois tinha um único D'us ao qual eles poderiam adorar e servir, eles não precisavam trabalhar todos os dias, pois D'us estava dando um dia de folga (shabat), eles não precisavam comer qualquer coisa, pois D'us estava lhe ensinando a comer uma comida de melhor qualidade, eles não precisavam mais cometer relações sexuais ilícitas, pois D'us dava para cada homem uma mulher e ensinava a fidelidade ao seu cônjuge. Alem disso tudo D'us ensinou a este povo o valor do amor, do respeito, da verdade, da fidelidade, da honestidade, de integridade...

O povo foi salvo do Egito, mas não estavam libertos do Egito. A todo tempo eles se lembravam da vida de escravos, esqueciam que estavam livres e voltavam a se comportar como escravos novamente. É isso que acontece muitas vezes na vida de um crente, a pessoa foi salva do mundo quando encontrou e aceitou Jesus, passou pelo o batismo nas águas e recebeu o Espírito Santo e foi convencida que precisava abandonar o pecado, foi liberta dos vícios, das drogas, da prostituição e de outras coisas pela qual era escrava. Mas ao invés de exercer o seu direito a liberdade, muitos acabam por voltar a se comportar com escravos.

Ser salvo é ser livre, liberto do mundo ou de qualquer tipo de escravidão. D'us tem para os seus filhos liberdade plena. Agora eu passo a entender melhor o apostolo Paulo quando diz em Rm 7:8-12 Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, obrou em mim toda a concupiscência, porquanto, sem a lei, estava morto o pecado. E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri; E o mandamento, que era para vida, achei eu que me era para morte. Porque o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, me enganou, e por ele me matou. E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom. Não é uma vida sem mandamentos que nos conduz a liberdade, se a lei de D'us é santa, justa e boa, logicamente que Jesus não veio para abolir a lei, mas abolir o pecado que habita em nós. Jesus veio para nos tirar da escravidão do império das trevas, perdoarem todos os nossos pecados e ensinar a lei de D'us que nos foi dado em amor e justiça para que possamos ser livres e caminhar em liberdade.

João 8:36 - Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.